Retrato do Brasil: Homem ajuda população carente com ônibus “especial” no Pará

Fonte: De zero a
cem

Fotos: Divulgação
O Brasil é mesmo um país de
extremos, onde o que parece péssimo acaba sendo ótimo para muita gente. Embora
o nível de pobreza da população tenha diminuído nos últimos 10 anos, ainda
vemos situações que chamam a nossa atenção pela precariedade. Vejam o caso
desse ônibus “especial” das fotos. Nas grandes cidades, ele teria dificuldades
para rodar – se é que poderia. Mas, em Xinguará, no Pará, ele roda e ajuda
muito nos deslocamentos de diversas pessoas do município, sendo essencial para
o dia a dia delas. Muito espirituoso, o dono do ônibus prefere ficar longe de
encrenca e brinca que seu veículo tem até pneus vindos da Fórmula 1! 

Só mesmo o bom humor do dono
do ônibus, que preferiu não passar o seu nome, para tornar essa situação quase
trágica num ato nobre. Quem me enviou as fotos e conheceu o veículo do perto
foi o meu grande amigo Walber, que trabalhou em Xinguará por alguns dias. Com
cerca de 41 mil habitantes, a cidade está localizada na região sudeste do Pará,
próximo à divisa com o Tocantins.
Quando ouvi que o ônibus
tinha “pneus de Fórmula 1″, logo achei que seriam os lisos, para correr em
pista seca – ou seja, “carecas”. Mas, na verdade, seus pneus têm sulcos para
pista molhada – mais adequados para rodar nas belas estradas brasileiras,
cheias de buracos e de terra, como nas imagens.
O “ônibus especial” já
perdeu toda a sua “saia esportiva” da Fórmula 1, facilitando a travessia de
terrenos ainda mais acidentados e conta com um retrovisor lateral e com apenas
um farol dianteiro funcionando – o outro não existe. O para-brisa também não
está lá, mas quase todas as janelas estão presentes. Seu único opcional é
a “traseira tapume de madeira”.

Por dentro, o veículo tem
cerca de 10 bancos para transportar a população carente. A carga vai espalhada
pelo assoalho, enquanto o luxo fica por conta de algumas cortinas.
Curiosamente, esse ônibus
pode circular até um lado de uma determinada ponte de chegada da cidade. Caso
ele cruze para o outro lado, o seu dono resume o que pode acontecer: “se
passar, o ‘pessoal’ do lado de lá compra o meu ônibus. Mas eu não vendo”!

Embora o estado do ônibus
seja deplorável, colocando seus ocupantes em risco, a bondade de seu dono em
transportar a população carente merece aplausos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.