Uma lembrança da fluminense Luxor na Paraíba

Fonte:
Portal Ônibus Paraibanos / A mil por hora
 
Fotos: Paulo Rafael Viana / Pedro G. Oliveira
A
empresa começou suas atividades nos anos 60 com uma sóbria pintura azul e
branca onde se destacava pouco o nome da companhia. Mas a Revista Transporte
Moderno, que promovia um concurso de pinturas de frotas de ônibus, acabou sendo
indiretamente responsável pela mudança radical na programação visual da frota
da Luxor, duas vezes – em 1975 e depois em 1988. Coincidência: os desenhos
foram trabalhos do mesmo Moacir Ramos que ofertou para o Cia. de Ônibus as
fotos dos primeiros carros da empresa.

A
Luxor atuava na Baixada Fluminense, especialmente em Magé e Duque de Caxias,
com linhas de lugares adjacentes chegando ao Rio de Janeiro. Mas os tempos
mudaram e a empresa, embora tenha crescido a ponto de atuar em lugares como
Petrópolis, Xerém, Imbariê e Campos Elísios, acabaria posteriormente dividida e
a Anatur, o braço turístico da Luxor, abocanhou algumas de suas linhas.
Com
o crescimento, veio a decadência da qualidade dos serviços de ambas as empresas
e o inevitável fechamento das portas. As linhas da Luxor/Anatur foram
pulverizadas entre a Trel, de quem a parceria absorvera algumas rotas nos anos
80; a Viação União, a Reginas e a Transportes Machado, de Petrópolis.
Mas na região metropolitana de João Pessoa até pouco tempo atrás uma lembrança da Luxor ainda sobrevivia. Um particular da cidade de Santa Rita adquiriu um Ciferal Gls Bus com chassi Mercedes-Benz da Luxor que manteve a famosa pintura dos “azulejos” como foi conhecida, que foi uma das mais marcantes da empresa. Ele fazia pequenos fretamentos com o veículo que teve algumas alterações em suas características internas como a troca da bancada interna sendo colocada bancada rodoviária no lugar da urbana, original do veículo e retirada do posto do cobrador. Externamente quase nada mudou, a não ser as rodas e os para-choques pintados na cor azul.

Infelizmente esse veículo está sendo desmontado, não se sabe o motivo. Ele pode
ser visto as margens da BR-230 em Santa Rita já parcialmente
“canibalizado”.
Provavelmente
essa seja a única lembrança física da Luxor, umas das lendas no transporte
fluminense.

2 comentários em “Uma lembrança da fluminense Luxor na Paraíba”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.