Retrospectiva 2015 do transporte paraibano- Novidades da frota campinense‏

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team



O ano de 2015 em Campina foi de promessa de mudanças, e muitas delas aconteceram de fato graças a licitação do sistema. De um lado, empresas saíram de circulação, como Idalino Transportes e Borborema, do outro, as que sobraram começaram a se descaracterizar e se tornaram duas: Cabral e Nacional, Consórcio Santa Maria; Transnacional e Cruzeiro, Consórcio Santa Verônica.

Transnacional: Quatro ex-Unitrans e mais nada

A Transnacional de Campina Grande começou o ano renovando com veículos que dela eram de direito: eram as quatro unidades do lote de 2013 dos Torinos da Unitrans com placas de Campina Grande. Eram mais quatro veículos de uma empresa que desde meados de 2014 rodava só com Torino 07, e havia mandado praticamente todos os seus Viales e um Torino para a filial pessoense como reservas da frota sem cobrador da capital paraibana.


A expectativa é que, caso haja renovação em 2016 na empresa, a mesma novela se repita. Afinal o veículo mais velho da frota da Transnacional campinense é de 2009, dentro da idade média para se rodar em João Pessoa.

Com as mudanças na licitação, a Transnacional passou a rodar com a numeração 30XX, em substituição à 07XX, que a empresa havia adotado em 2009, e que voltou a ser uma exclusividade pessoense – isso fora a numeração dos ônibus da Santa Maria que rodam em Nova Parnamirim.
Nacional de Luxo: uma baciada de seminovos
A Nacional de Luxo, que incorporou em 2014 cinco unidades do New Torino, voltou a incorporar seminovos na frota em 2015. De carros ex-Fortaleza à Viales ex-Unitrans e Santa Maria de Natal, a empresa foi retirando veículos de 2002 e 2003 da frota.

Na nova licitação, a empresa adotou a numeração 1XXX. Como é a mesma empregada na frota rodoviária, as numerações dos urbanos preenchem buracos dos rodoviários, fazendo com que a identificação da frota seja uma só – e não distinta como na Reunidas, que tem numerações idênticas porém distintas para as frotas paraibana e potiguar. Por exemplo: o carro 1050 é um Viaggio G7, e essa numeração não é empregada na frota urbana.
Cabral e Santa Rosa: ex-Caprichosa, ex-Rio de Janeiro e pintura Integra
A Cabral e Santa Rosa também trouxe somente seminovos em 2015: foram dois ex-Caprichosa e dois ex-Rio de Janeiro, todos do modelo Torino 07, sendo que os dois primeiros já foram da Transportes Santo Antônio e possuem elevador para cadeirantes.


Já os dois últimos trouxeram uma identidade visual que lembra a do Integra de Salvador, e que chegou a ser cogitada como uma possível pintura padronizada para o sistema campinense. E os carros estão rodando com essa pintura mesmo.
A Cabral adotou a numeração 20XX, substituindo a numeração 01XX.

Viação Cruzeiro: carros novos e crescimento

A Viação Cruzeiro foi a única empresa campinense a adquirir veículos novos em 2015; foram duas unidades do New Torino, uma com a pintura da empresa, e outra com a pintura – acredite – da Transnacional.

Sim, a empresa trouxe uma unidade com a caracterização da Transnacional e chegou a caracterizar outras unidades com os padrões tanto da TN quanto da Nacional de Luxo. Isso se explicava pelo fato de ela operar em caráter provisório linhas que não eram dela, como a linha de São José da Mata, definitivamente assumida pela Nacional de Luxo e pela Cabral.


A empresa passou de 16 carros em 2014 para 24 em 2015. Além dos dois carros zero comprados esse ano, a empresa ainda incorporou unidades seminovas ex-Transportes Santo Antônio e Vitória de Caucaia. As primeiras já no padrão Euro V.

A Cruzeiro adotou a numeração 40XX, substituindo a numeração 03XX.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.