Testemunho em 2015 pode ter motivado incêndio em garagem de ônibus em Belo Horizonte

Por Estado de Minas
Imagens Iana Coimbra – TV Globo
/ Lucas Franco – TV Globo

A Polícia Civil prendeu, nesta terça (15/6), Fabiano Murdok de Souza de 35 anos acusado de ser o mandante do incêndio que destruiu 10 ônibus durante a manhã em BH.

O crime aconteceu no Bairro Aparecida, Região Noroeste da capital mineira.

De acordo com o delegado Artur Alberto Neves Vieira, que está à frente das investigações, a polícia trabalha com duas possíveis motivações para o crime.

Uma delas tem a ver com outro crime cometido pelo suspeito. Em 2015, a Polícia Federal (PF) o prendeu por tráfico de drogas em uma rodovia.

O proprietário da garagem incendiada nesta terça testemunhou contra ele na ocasião por ter ligação com o veículo envolvido no comércio ilegal.

Outra possibilidade levantada pelo delegado é a pratica de preços abaixo do mercado pela empresa da vítima. Como o suspeito também trabalha no ramo dos transportes, ele pode ter ficado insatisfeito com o valor dos fretes da vítima, o que prejudicaria o seu negócio.

A empresa de ônibus do suspeito tem sede no Bairro JK, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A polícia chegou até ele por meio de diligências materiais e verbais. Dentro do carro do suspeito, os agentes acharam um galão de combustível e roupas usadas no crime.

O homem ficou preso até 2018 e estava em liberdade condicional. A polícia o indiciou pelo crime de incêndio, com pena entre três e seis anos de prisão. Os agentes já o encaminharam ao sistema prisional.

Ele não agiu sozinho no crime. O primo do acusado é o homem filmado por uma câmera de segurança. Esse segundo envolvido ainda estava foragido até o fim da tarde desta terça.

Veja o vídeo: