Semob encerra programa Humanizar 2021 com entrega de certificados e até medalha de Ser Humano Nota 10

 Esse não foi um ano fácil, mas, mesmo com todos os problemas causados por uma pandemia que parou diversos setores e fechou as portas de empresas – algumas definitivamente – o sistema de transporte público de João Pessoa continuou mantendo o compromisso e sua qualidade de serviço. O atendimento, que é e sempre foi um dos pontos mais importantes compartilhados pelas empresas que formam o Grupo A. Cândido (Unitrans e Santa Maria), este ano de 2021 teve um importante apoio do projeto Humanizar, desenvolvido pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP). Nesta sexta-feira (17), aconteceu o encerramento do programa no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria, com a presença de representantes públicos do sistema e operadores. A ocasião foi uma oportunidade para valorizar o Humanizar como ação educativa e pequenas ações de empatia e humanidade no trânsito.

Os participantes do humanizar foram chamados ao palco para receberem seus certificados

Com o tema “Humanização no atendimento do nosso cliente interno e externo”, a 5ª edição do Humanizar envolveu de forma singular 21 operadores – despachantes, coordenadores de área e fiscais – da Unitrans que participaram de 16 módulos do projeto entre os dias 27 de agosto e 10 de dezembro. Tendo em vista o amparo que proporcionou a muitos que perderam familiares e que conseguiram, através de exemplos e ensinamentos, praticar a empatia, o Humanizar cumpriu um papel importante tanto no trabalho, quanto na vida dessas pessoas.

O projeto é uma parceria com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de João Pessoa (Sintur-JP) e o Sest/Senat e tem o objetivo de sensibilizar os operadores do sistema de transporte público para otimizar o trabalho oferecido por eles. De acordo com a psicóloga da Semob, Sandra Araújo, facilitadora do Humanizar, este ano, o programa abordou temas como as relações interpessoais na qualidade do atendimento, resolução de conflitos, comunicação, ética e comportamento, trabalhando as emoções como: medo, raiva, tristeza, calma e alegria.

Alguns participantes e gestores do Humanizar

Em sua fala de abertura do evento, Sandra destacou a importância das parcerias e agradeceu a todas as empresas de transporte coletivo na pessoa do gerente de tráfego da Unitrans, Alisson Ricarte. “Alisson foi uma força para todas as empresas não só para o consórcio dele, mas todas as empresas. Antes víamos empresa por empresa, hoje não. É um sistema que hoje está muito unido e preocupado em melhorar ainda mais e Alisson fez isso muito bem”, comentou ela, que entregou certificados para cerca de 40 lideranças, entre coordenadores de área, despachantes e chefes de tráfego das empresas concessionárias de transporte.

Mas, o desafio maior de todos eles, para o gerente Alisson Ricarte, não esteve em assistir às 16 aulas online, mas em ser multiplicador desse conhecimento. “São mais  de 600 pessoas para quem eles precisam repassar o que aprenderam”, frisou Alisson, explicando que essa é a verdadeira aprendizagem para mudar o mundo: a que acontece de forma coletiva.

O Superintendente Executivo da Semob, Marcos Antônio Souto Maior Filho, também falou sobre o trabalho conjunto e parcerias para a melhoria do sistema. “Esse é o programa que deveria ser feito sempre. Nós incentivaremos sempre. Falo pelo executivo, pelo prefeito”, disse o dirigente, agradecendo a todos. “A palavra é agradecimento nesse momento. Agradecimento e parabenização por um trabalho desse constante e indiscutivelmente necessário”, frisou ele.

Necessário também foi o que achou o despachante Gutemberg Souza. Ele foi chamado ao palco por Sandra porque ele foi um dos participantes que afirmou mais ter sentido a mudança que o programa fez não apenas no seu trabalho, mas na sua vida. “Quero agradecer a todos. Todos eles viram que eu precisava de apoio. Viram meu problema no Humanizar”, disse ele, referindo-se a desafios vividos no seio da família e que mexeram com seu emocional durante a pandemia.

O motorista Gutemberg Souza falou do apoio que o programa lhe deu ao lado de Sandra, Fátima e Alisson Ricarte

Sandra lembrou a dificuldade que foi durante esses dois anos lidar com tanta insegurança, desesperança e negativismo. “O que foi levar todos esses sentimentos para casa? Demissão, a empresa fazendo malabarismos. Foi muita dor”, destacou a psicóloga.

Humanizar capacita para a colaboração

Mas, Gutemberg foi entre muitos auxiliados pelo Humanizar em 2021. A diretora da Unitrans, Lorena Dantas, que representou também o Sintur na ocasião, encerrou o evento falando que foram dois anos de extrema dificuldade para todos, mas que nessas situações é que as pessoas mais aprendem, unem-se e se fortalecem.

 “Perdemos gente pela Covid e também pelas demissões. Tudo isso foi como um trem em movimento que parou num freio brusco”, iniciou a diretora. “Paramos por três meses e vimos que muitos passageiros não sabiam andar de ônibus. Sabia que levava para a escola, por exemplo, mas se o usuário quisesse pegar outra opção, não sabia qual. Quando fizemos mudanças, víamos a dificuldade. E agora? Como vamos ensinar a todos? Quando vocês precisam de informação vocês recorrem a quem? Eles recorrem a nossos funcionários. E hoje nosso grande agradecimento é aos funcionários. Sempre a eles”, disse Lorena.

A diretora continuou explicando que o Humanizar foi de extrema importância nesse processo também porque tratou de temas muito urgentes no momento. Era preciso mais humanidade, mais união nesse período de pandemia. “Todos perdemos algo e estamos juntos e firmes. Espero muito que 2022 consigamos ter de volta tudo o que tínhamos. Até do RH tivemos que retirar e vieram vocês preencher essa lacuna. Para fazer melhor precisamos estar juntos. Quero agradecer a todos vocês do programa Humanizar por esse acolhimento e apoio”, finalizou Lorena Dantas.

Um motorista entre todos – Ser Humano Nota 10

Como o Humanizar contribui para o desenvolvimento das habilidades dos profissionais que lidam com situações vividas no trânsito todos os dias, um de seus participantes, o despachante Carlos Alberto, prestou uma homenagem a um colega motorista. José Maria, que atua na linha circular da Reunidas, foi o primeiro operador a receber a medalha Ser Humano Nota 10, que acabou de ser instituído pela Semob, haja vista a história contada pelo despachante.

Segundo Carlos Alberto, ele estava passando em seu carro particular quando observou o motorista José Maria sair de sua cadeira para ajudar um senhor que tentava subir ao ônibus com muitas sacolas. A ação do motorista, para Carlos, foi um exemplo de atendimento de respeito e qualidade ao usuário e , mais que isso, foi uma atitude humana, digna de conhecimento. “Então, como eu estava dirigindo, não filmei, mas anotei o número do ônibus e linha e passei para o pessoal da Semob para que reconhecessem a ação de José Maria”, disse o despachante, colocando a medalha em torno do pescoço do operador.

José Maria recebeu uma lembrança da empresa PRG Material Hidráulico que ficou sabendo da atitude dele

Aplaudido por todos, José Maria também recebeu um certificado das mãos da facilitadora da Semob, Fátima Araújo. “É apenas um papel, mas é para que todas as vezes que você olhe, você se lembre de sua ação. Ser humano nota 10 não é fazer tudo perfeito, mas é ter empatia e se colocar no lugar do outro”, explicou ela. Ao final, o motorista ainda ganhou da PRG Material Hidráulico, uma caixa de ferramentas. José Maria, emocionado, agradeceu e disse que deseja que o sistema cresça muito mais porque é com ele que ele sustenta a sua família.

Fátima Araújo, da Semob, entregou ao motorista o certificado do Ser Humano Nota 10, um destaque criado este ano no Humanizar para reconhecer ações de solidariedade no trânsito

Fonte: News Comunicação