Motoristas campinenses devem recusar acordo de empresa Itapemirim

Funcionários da empresa também paralisaram as atividades também Fortaleza e Feira de Santana.

Em entrevista concedida à Rádio Caturité FM, nesta terça-feira, 04, o presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de Campina Grande, Antonino Macêdo, detalhou sobre os desdobramentos da paralisação promovida pelos trabalhadores da empresa Itapemirim.

Segundo ele, os profissionais ‘descruzaram os braços’ após um comunicado de resposta da direção nacional da empresa, que propôs o pagamento de salários, vale alimentação, férias e 13º, de forma parcelada, em quatro vezes.

Mas, segundo Antonino, “boa parte dos motoristas já relataram que não vão aceitar, porque a empresa não vem cumprindo com as promessas há tempos”. Ainda conforme o representante, tem motorista que foi contratado há apenas dois meses e já pretende pedir demissão porque ainda não recebeu nada.

Paralisação

Os ônibus da empresa Itapemirim, em Campina Grande, não puderam sair da garagem na manhã dessa segunda-feira, 03, por conta de atrasos no pagamento dos salários e outros benefícios dos motoristas.

Ao todo, são 23 profissionais que estão sofrendo com a situação. O Sindicato dos Motoristas de Ônibus confirmou ainda que alguns dos trabalhadores não conseguiram nem sequer ter uma ceia digna no final de ano, pois não tinham como custeá-la.

Fonte: Paraíba online

, ,
0compartilhamentos

Inscreva-se na nossa newsletter