Scania apresenta nova geração de ônibus Euro 6 na Lat.Bus 2022

Lançamento traz o propósito da marca de elevar o mercado a um novo patamar de mobilidade sustentável com o máximo de rentabilidade, disponibilidade e segurança

A Scania, líder na transição para um sistema de transporte mais sustentável, anuncia o lançamento no Brasil da sua nova geração de ônibus, que estreou há apenas três anos na Europa. Trata-se do melhor ônibus Scania de todos os tempos, em termos de produtos, serviços, eficiência energética, tecnologias avançadas e viáveis, e sistemas eficazes para uma moderna e rentável gestão da operação. Em uma perfeita união de mobilidade sustentável com economia operacional. A nova linha, que contempla os modelos da Série K (motor traseiro), está sendo apresentada ao público na Lat.Bus & Transpúblico 2022, o maior evento de mobilidade urbana da América Latina, realizada nos dias 9, 10 e 11 de agosto no São Paulo Expo (SP). 

A Nova Geração de Ônibus Scania foi desenvolvida com tecnologia para atender aos requisitos obrigatórios de metas de controle de emissões da fase P8 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), ou equivalente à lei europeia Euro 6, definidos na resolução 490, de novembro de 2018, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), integrante do Ministério do Meio Ambiente. Norma que entrará em vigor em 1.º de janeiro de 2023.  

“Nosso lançamento vai atender as normas de redução de emissões, aumentar a segurança e o conforto e ainda economizar mais combustível colocando mais dinheiro no bolso do operador, tanto do segmento rodoviário quanto do urbano. A nova linha chegará com soluções completas de produtos e serviços para resolver as diferentes necessidades dos clientes. Aliando a correta especificação do produto, conectividade,  treinamento dos motoristas e manutenção adequada. Ou seja, a Nova Geração de ônibus vai oferecer um custo total de operação imbatível”, explica Silvio Munhoz, novo diretor-geral das Operações Comerciais da Scania no Brasil. 

“Os novos modelos estarão disponíveis numa vasta gama de trens de força e vão proporcionar até 8% de economia de combustível em ônibus rodoviários – sendo 7% do motor XPI Euro 6 e 1% da caixa automatizada Scania Opticruise –, e de até 10% nos urbanos, sendo 7% do motor XPI Euro 6 e 3% da caixa automática ZF EcoLife 2. Além de baixos níveis de emissões e de ruídos”, diz Celso Mendonça, gerente de Vendas de Soluções de Mobilidade da Scania no Brasil.  

As principais novidades da Nova Geração de ônibus da Série K Scania são: motores com sistema de injeção múltipla XPI e lay shaft brake (troca de marchas 45% mais rápidas), evolução do sistema de segurança ADAS e novos sensores (alertas de ponto cego e de pedestres), atualizações das caixas de câmbio Scania Opticruise (rodoviários) e ZF EcoLife 2 (urbanos), chassi mais leve, novo eixo traseiro direcional do urbano de 15 metros com sistema eletro-hidráulico, rodoviário 8×2 com 500cv (maior potência do mercado) e área do motorista redesenhada e aprimorada (painel, volante e pedais). Já em serviços, a Scania traz a pioneira manutenção com planos flexíveis (redução no custo de reparos em até 25%), o Control Tower (até 30% de diminuição no tempo de parada) e o Scania Zone (monitoramento mais personalizado da frota e que permite controlar a média de velocidade em trechos críticos).  

“Desenvolvemos uma linha baseada em três pilares, sustentabilidade, rentabilidade e segurança. Estamos trazendo para o Brasil a geração mais recente da Europa e que representa uma evolução para as linhas focadas em ônibus no país”, afirma Ivanovik Marx, engenheiro de Oferta de Soluções da Scania no Brasil. 

Portfólio ainda mais amplo para atender todos os tipos de necessidades

As soluções Scania disponibilizam chassis de configurações de rodas 4×2, 6×2 e 8×2 (linha rodoviária) e 4×2, 6×2*4 e 6×2/2 (linha urbana). As motorizações, que podem ser abastecidas com diesel, HVO ou biodiesel, são de 9 e 13 litros, de 5 e 6 cilindros, trazem novas potências de 320, 370, 410, 450 e 500 cavalos (rodoviários) e de 280 e 320cv, para os urbanos. Também há as opções de 280cv e agora de 340cv (antes era de 320cv) nas pioneiras versões movidos a gás (natural e/ou biometano). Os torques variam de 1.350Nm a 2.550Nm.  

Para viabilizar os ônibus a gás não são necessárias alterações significativas nos projetos das carrocerias. As instalações dos cilindros de gás podem ser feitas entre as longarinas do chassi (abaixo do assoalho) ou sobre o teto. Caso seja necessária uma autonomia maior, é possível avaliar a colocação de mais cilindros. 

Os modelos rodoviários Scania são as melhores soluções para os clientes que atuam nos segmentos do fretamento – contínuo e eventual, linhas intermunicipais e interestaduais (curtas, médias e longas distâncias) e do turismo. Já para a mobilidade urbana eficiente a gama Scania tem modelos a partir de 12,5 até 28 metros de comprimento, com capacidade para transporte de 86 a 270 passageiros. As configurações são com piso baixo, normal, padrons, articulados e biarticulados para corredores exclusivos de sistemas BRT.  

Os motores de ônibus mais econômicos da história da Scania no Brasil

Os motores Scania Proconve P8/Euro 6 desenvolvem os mais altos torques do mercado e propiciam aumento da eficiência energética em relação à geração atual, P7/Euro 5, o que na prática traz melhores resultados aos negócios dos clientes. “Esse superior desempenho ocorre em virtude da introdução do sistema XPI, que possibilita melhor eficiência da combustão com pontos múltiplos de injeção, independentemente da rotação do motor, e garante menor emissão de poluentes e de ruídos”, salienta Ivanovik Marx. O sistema de tratamento de gases permanece o SCR (Selective Catalytic Reduction ou Redução Catalítica Seletiva), com o uso do reagente ARLA 32, e que passa a ter um filtro de particulado para atender a lei Conama P8.  

O propulsor de 9 litros tem na robustez o seu grande diferencial. Trata-se de um motor de 5 cilindros que proporciona máxima potência e maior capacidade de carga com um menor consumo de combustível. O bloco 13 litros, de 6 cilindros, segue a filosofia Scania de baixa rotação e alto torque, ideal para operações de longas distâncias. O cliente terá excelente economia de combustível com a melhor eficiência da categoria.  

Trocas de marchas ainda mais eficientes

Para a linha rodoviária, a caixa de transmissão automatizada Scania Opticruise ganhou uma atualização do software e elevou em 1% sua economia de combustível. O que vai acarretar um benefício imediato na operação. A inteligência do câmbio promove uma experiência ainda mais prazerosa numa direção fácil, confortável e segura, independentemente do peso, rota e topografia. 

Outra novidade relevante é o Opticruise com o lay shaft brake, um sistema de freio no eixo secundário da caixa que torna as trocas de marchas 45% mais rápidas e suaves, e aumenta consideravelmente a resposta do motor. Ele é um sucesso na Nova Geração de caminhões da marca.   

Na gama urbana, a caixa automática ZF EcoLife 2 chega para agregar até 3% de economia de combustível. Com melhorias significativas, o novo câmbio tem a função “Start/Stop” (Liga/Desliga) e desgaste reduzido devido ao aperfeiçoamento do sistema de refrigeração. Além de mais leve e adaptada aos motores de alto torque da Scania, conta com maior conforto, trocas mais rápidas e suaves. 

Para ambas as caixas de marchas existem três tipos de modos de condução: econômico, padrão e potência. Eles ajudam o motorista em diversos tipos de situações na viagem e devem ser acionados de acordo com a necessidade. 

O privilégio de dirigir um ônibus Scania com muito mais ergonomia

Para a Nova Geração de Ônibus, a Scania redesenhou totalmente a área do motorista, que vai encontrar um espaço ergonômico e confortável com todos os comandos integrados e posicionados de maneira estratégica nos novos volantes.

Os pedais suspensos e o volante ajustável foram projetados para que a relação homem/máquina seja natural e agradável. “Nosso objetivo é o controle sem esforço e o conforto incomparável. Tudo se torna possível com o projeto inteligente do novo posto do motorista. Para evitar distrações no trajeto, os botões foram colocados no volante, que é ajustável para o comando do computador de bordo, bem como os controles de velocidade de subida e descida. O nível combinado entre o Scania Opticruise e o freio auxiliar Scania Retarder permite a ativação de ambos com as pontas do dedos”, detalha Marx. Estão disponíveis quatro tipos de acabamento de volantes: básico, versão com partes cromadas, couro e madeira. O painel de instrumentos recebeu um novo design moderno com a visibilidade ampliada e em duas opções de display, de 4 ou 7 polegadas. 

Já os pedais suspensos permitem a ideal acomodação da musculatura das pernas. Dessa forma, o condutor diminuirá o cansaço da direção no final da jornada. Outro benefício é a facilidade de limpeza dessa área, que normalmente é de difícil acesso.  

Segurança aprimorada 

O atual portfólio de modelos Scania é reconhecidamente seguro. “A excelente notícia para o cliente é que a Nova Geração P8/Euro 6 está equipada com sistemas aprimorados e avançados com o que há de melhor viavelmente possível para o mercado brasileiro”, revela Marx. “Por exemplo, a tecnologia de auxílio ao motorista ganhou novos itens. O consagrado pacote opcional ADAS passa a ser ofertado em sua segunda geração (2.0) com a adição do ASLA.”  

Lançado de forma pioneira pela Scania, em 2016, o ADAS (Advanced Driver Assistance Systems ou sistema de auxílio ao motorista), faz parte do pacote de segurança opcional da fabricante e oferece uma assistência ao motorista para melhorar a condução e prevenir acidentes de trânsito. 

Nos novos ônibus Scania da Série K, dois sistemas (de nome ASLA) foram adicionados ao ADAS 2.0. São sensores laterais e ambos provocam alertas de ponto cego e de pedestres, com o objetivo de diminuir  a falta de visibilidade nas laterais dos ônibus. A forma de chamar a atenção é feita por três ações. A primeira é uma indicação de luz âmbar fixa (quando há uma pessoa vulnerável na estrada na lateral do veículo). A segunda um aviso por indicação de luz âmbar piscando e vibração do assento do motorista (quando ele ativa o indicador na direção do usuário vulnerável da estrada). Por último, um alerta por meio de indicação de luz vermelha constante e aumento da vibração do assento (quando o condutor dirige o veículo em direção à pessoa vulnerável da estrada). 

O ADAS permanece utilizando câmera e um radar instalados no para-brisa e no para-choque, respectivamente. Os três atuais dispositivos vão continuar na Nova Geração. O AEB (frenagem de emergência avançada) funciona por meio do radar e da câmera e vai medindo a distância e a velocidade relativa de qualquer veículo na pista, para intervir e evitar acidentes. Para isso, utiliza os freios auxiliares e também as trocas de marchas por meio da caixa Scania Opticruise, e diminui, assim, efetivamente o risco de colisões frontais. O segundo componente é o LDW (aviso de saída de faixa), que monitora as faixas de rolagem da pista e avisa o motorista quando o ônibus sai de forma involuntária e invade o espaço ao lado. O terceiro e último item é o ACC (controle de cruzeiro adaptativo). Ele auxilia o condutor a manter um intervalo de distância constante em relação ao veículo à frente por meio do radar localizado no para-choque dianteiro. 

Outra tecnologia de muito sucesso é o Actcruise, a evolução do controle de cruzeiro Ecocruise, que foi introduzido na linha 2018/2019 e já é item de série. O Actcruise atua por meio de posicionamento via GPS e um mapa topográfico integrado ao módulo de conectividade para gravar rotas e aproveitar aclives e declives de maneira mais eficiente. Ele prevê a rota 3 km à frente, efetuando cálculos constantes. Ao se aproximar de declives pode diminuir a velocidade selecionada em até 8% (modo padrão) ou 12% (modo ECO). Uma economia no consumo de combustível em média de até 3%, de acordo com a rota e peso do veículo.  

Além do freio motor, a Scania dispõe do freio auxiliar Retarder integrado. O Scania Retarder atua diretamente no trem de força, com 4.100 Nm de potência de frenagem, tem acionamento hidráulico e é ativado pelo pedal ou alavanca do freio. Ele aumenta os níveis de segurança ao prevenir falhas de frenagem em longas descidas, enquanto, simultaneamente, reduz o desgaste dos freios de serviço.

O Programa Eletrônico de Estabilidade (ESP) é responsável por monitorar a trajetória do veículo e, no caso de uma perda repentina de tração, atua nos freios de forma individualizada em cada roda, a fim de manter o veículo na trajetória, sob controle do motorista.

Já o sistema anticapotamento para ônibus rodoviários esvazia as bolsas de ar do veículo para diminuir o centro de gravidade em inclinações acima de 23°, e garante maior segurança e estabilidade do produto.  

Chassis mais leves

Os novos chassis da Série K P8/Euro 6 estão 2% mais leves. Com isso, o operador rodoviário vai conseguir levar mais bagagens. Portanto, vai aumentar sua receita. Algo possível graças à remodelação das longarinas.  

Por falar na estrutura do chassi, ela também está mais silenciosa e recebeu um novo sistema elétrico para que haja uma integração maior com a carroceria. A consequência prática está no aumento da tecnologia embarcada. 

Nova Geração de ônibus Scania P8/Euro6: modelos rodoviários

As soluções Scania disponibilizam chassis de configurações de rodas 4×2, 6×2 e 8×2 (linha rodoviária) e 4×2, 6×2*4 e 6×2/2 (linha urbana). As motorizações, que podem ser abastecidas com diesel, HVO ou biodiesel, são de 9 e 13 litros, de 5 e 6 cilindros, trazem novas potências de 280, 320, 370, 410, 450 e 500 cavalos (rodoviários) e de 280 e 320cv, para os urbanos. Também há as opções de 280cv e agora de 340 cv (antes era de 320cv) nas pioneiras versões movidos a gás (natural e/ou biometano). Os torques variam de 1.350Nm a 2.550Nm.

K 320 4×2 (320 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.050-1.400)

K 340 4×2 (340 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.000-1.400)

São indicados para o fretamento e linhas curtas. Em razão do alto torque (1.600Nm), os modelos possibilitam aos clientes excelentes resultados operacionais pela robustez do conjunto e baixo consumo de combustível. O 340cv é movido a gás.  

K 370 4×2 (370 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 1.900Nm @900-1.340)

Tem tudo para continuar a trajetória de sucesso do antecessor (K 360) e ser um dos mais vendidos da marca. É uma ótima opção para carrocerias de 14 metros. A logística de transporte e a regulamentação das linhas interestaduais estão levando os empresários a escolher modelos mais rentáveis, migrando da tração 6×2 para a 4×2 (de 14 metros e até 50 lugares). Indicado para a aplicação rodoviária de curtas, médias e longas distâncias. O torque elevado a baixas rotações (1.900Nm) assegura uma excelente força de arranque e aceleração para uma dirigibilidade excepcional em condições de tráfego e difíceis acessos.
 

K 370 6×2 (370 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 1.900Nm @900-1.340)

K 410 6×2 (410 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 2.150Nm @900-1.340)

Além de serem opções rentáveis para a operação rodoviária de média e longa distância, esses dois modelos também são ideais para o turismo e o fretamento.  

K 450 8×2 (450 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 2.350Nm @900-1.340)

K 500 8×2 (500 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 2.550Nm @925-1.340)

A solução 8×2 de 15 metros é um sucesso pioneiro da marca, desde novembro de 2016, para atender a legislação respectiva. Com este modelo, os empresários conseguem transportar mais pessoas nas linhas interestaduais por viagem, com importante redução de custos. São opções DD (double decker, dois andares). A Scania é a líder no segmento desde o início. O K 500 passa a ser o ônibus mais potente do Brasil. 

Nova Geração de ônibus Scania P8/Euro6: modelos urbanos  

K 280 4×2 (280 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.400Nm @1.000-1.400)

K 280 4×2 (280 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.350Nm @1.050-1.400)

piso normal ou baixo

Motor de cinco cilindros em linha com quatro válvulas em cada uma, possui opções padrón de 12,5/13,2 metros, com capacidade para até 115 passageiros. É uma ótima solução para o transporte eficiente nos grandes centros urbanos. Versão a gás (torque 1.350Nm). 

K 320 IB/UB 6×2*4 (320 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.050-1.400)

K 340 IB/UB 6×2*4 (340 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.100-1.400)

15 metros piso normal ou baixo 

O motor gera um alto torque já em baixas rotações, que permite melhores resultados operacionais pela robustez do conjunto e menor consumo de combustível. A opção de 15 metros, com piso baixo, facilita o embarque dos passageiros. 

Os modelos de 15 metros Euro 6 ganharam um novo eixo direcional com sistema eletro-hidráulico e de menor número de componentes, que apresenta peso reduzido, ganho de espaço e menor desgaste de pneus.

Articulados

K 320 IB 6X2/2 (320 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.050-1.400)

K 340 IB 6X2/2 (340 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.100-1.400)

Para aguentar o trabalho nas linhas troncais dentro dos corredores exclusivos é preciso que o ônibus tenha um chassi muito robusto, mas que também seja econômico. A Scania oferece os veículos ideais com suspensão eletrônica pré-ajustável, que facilita a adequação às plataformas, e sistema de articulação seguro com monitoração. Opção de veículo a gás de 340 cavalos.

Um diferencial Scania são os redutores de cubo que contam com engrenagens helicoidais, permitindo a redução de ruídos durante a operação.

A linha F de motores dianteiros urbanos e o modelo biarticulado continuam disponíveis no portfólio para atender a demandas específicas e programadas.  

Fonte: Assessoria de imprensa Scania

, , , , ,
0compartilhamentos

Inscreva-se na nossa newsletter