Biarticulado Volvo completa três décadas de revolução no transporte de passageiros

Com a ajuda fundamental da Volvo, Curitiba consolidou um sistema eficiente de transporte coletivo que, no decorrer dos últimos 30 anos se tornou popular em todo o planeta

Inovação celebra 30 anos de operação bem-sucedida em Curitiba. Nesse período, mudou completamente o meio de transporte público urbano. “Os biarticulados representaram um salto de capacidade e qualidade no deslocamento das pessoas em grandes cidades. Foi a partir dessa invenção da Volvo que surgiu uma revolução, conhecida hoje como BRT (Bus Rapid Transport), sistema de transporte rápido por ônibus que se espalhou pelo mundo nas últimas três décadas. Hoje, a Volvo está em BRTs de dezenas de países, com mais de 5 mil veículos da marca”, afirma Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses na América Latina.

Os biarticulados são ônibus com quatro eixos, duas articulações e alta capacidade de passageiros. O modelo atual da Volvo é o maior ônibus em operação no mundo. Dependendo da configuração da carroceria, pode ter até 30 metros de comprimento e capacidade para 300 passageiros.

O começo

O desenvolvimento do ônibus biarticulado nasceu de uma parceria entre a Volvo e Curitiba. No fim dos anos 80, a prefeitura procurou a fabricante, que tem sua sede latino-americana na cidade, com a proposta de desenvolver um ônibus de capacidade ainda maior do que os já consagrados articulados Volvo de então.

Na década de 70, a prefeitura começou a criar a RIT, a Rede Integrada de Transporte. Primeiro, com o sistema de ônibus expresso. Em 1974, inaugurou o tráfego de coletivos em vias exclusivas. Na década de 1990 surge a linha direta, conhecida como ligeirinho, e as estações tubo, um dos ícones de Curitiba.

A prefeitura projetou o sistema não apenas para transportar pessoas, mas também conduzir o desenvolvimento urbano. A partir do planejamento para onde a cidade deve crescer, leva-se o sistema de transporte e, naturalmente, a região se desenvolve. Mas para cumprir esse objetivo e continuar crescendo, a RIT demandava veículos de altíssima capacidade. A Volvo então aceitou o desafio e em apenas nove meses desenvolveu o projeto. Em 1992 começaram a circular, em canaletas exclusivas do eixo Centro-Boqueirão, os primeiros 30 biarticulados com capacidade para 200 passageiros cada, e com 24,5 metros de comprimento.

Com faixas exclusivas para ônibus, tarifa integrada e pré-paga e estações de embarque rápido em nível, estava criado o conceito do BRT, que projetaria Curitiba para o mundo. Hoje, a RIT transporta mais de 1,3 milhão de passageiros por dia. São 250 linhas, 329 estações tubo, 22 terminais e 6,5 mil pontos de parada. A RIT vai além de Curitiba e integra outras 13 cidades à rede.

América Latina

Com a ajuda fundamental da Volvo, Curitiba consolidou um sistema eficiente de transporte coletivo que, no decorrer dos últimos 30 anos se tornou popular em todo o planeta, mas principalmente na América Latina. “A Volvo é líder em veículos de grande capacidade para BRTs no continente latino-americano”, diz Todeschini.

Hoje há BRTs operando em 61 cidades do continente, informa o Global BRT Data. Nelas, transportam quase 21 milhões de passageiros por dia. É como se a população de Minas Gerais, o segundo estado mais populoso do Brasil, se deslocasse todos os dias pelos BRTs latino-americanos. O país com mais BRTs no continente é o Brasil: 24 cidades. Além de Curitiba, o sistema está, por exemplo, em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife, todos com presença forte de veículos Volvo. No Brasil, os BRTs respondem pelo deslocamento de 10,8 milhões de passageiros todos os dias, pouco menos que a população de São Paulo em 2021, estimada em 12,3 milhões pelo IBGE.

Bogotá e Santiago

Um dos maiores BRTs do mundo está em Bogotá, capital da Colômbia. Segundo o Global BRT Data, o Transmilenio transporta 2,2 milhões de passageiros diariamente e tem 113 quilômetros de extensão. Inaugurado em dezembro de 2000, tem forte presença de articulados e biarticulados Volvo. Presente desde a implantação do sistema, a marca vem continuamente contribuindo nas renovações de frota da cidade. Somente nos últimos quatro anos foram mais de 1.000 ônibus Volvo para o BRT da capital do país andino.

Outro importante sistema de transporte urbano do continente é o de Santiago, no Chile. Embora não seja tecnicamente considerado um BRT, a Red Metropolitana de Movilidad opera centenas de ônibus em integração com o sistema de metrô da capital do país. Graças à experiência com veículos de alta capacidade, a Volvo sempre foi um dos principais provedores de ônibus para a cidade. Recentemente, a marca foi selecionada para fornecer 564 novos veículos, na mais importante licitação de ônibus urbanos da América Latina em 2021/2022.

Fonte: Marco Greiffo Comunicação Corporativa – Grupo Volvo América Latina

, , ,
0compartilhamentos

Inscreva-se na nossa newsletter