Greve aprovada pelos rodoviários de São José dos Campos, Jacareí e Taubaté (SP); paralisação pode ocorrer a partir da tarde desta segunda-feira (08)

Após cumprir o aviso prévio previsto em lei, Sindicato afirma que "a qualquer momento o transporte pode parar".
Image

Após duas assembleias realizadas na última sexta-feira (05) pelo Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba, motoristas e cobradores do transporte público de São José dos Campos, Jacareí e Taubaté votaram pela realização de uma greve. A decisão, tomada em duas assembleias ao longo do dia, indica que os ônibus poderão parar a partir do início desta semana, caso não haja avanços nas negociações com a Busvale, entidade que representa as empresas de ônibus na região.

O estado de greve será encaminhado à Busvale após 72 horas contadas a partir da tarde de sexta-feira. Inicialmente a expectativa de paralisação era de ocorrer após o feriado de terça-feira (09), mas, em entrevista ao site Vale 360 News, Ronaldo Costa, presidente do Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba, o sindicalista afirma que “a qualquer momento a direção do sindicato estará na porta das empresas”.

“Os diretores já saíram para protocolar o aviso de greve no sindicato patronal e nas empresas. A partir do momento que for protocolado, contando 72 horas, a qualquer momento a direção do sindicato estará na porta das empresas. Estamos abertos ao diálogo a qualquer momento. Só vamos usar essa arma da greve se o sindicato patronal continuar brincando da forma que está, pois não vamos abrir mão de aumento real, do plano odontológico e de garantir as cláusulas da nossa convenção coletiva.”

Ronaldo Costa, presidente do Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba.

A categoria, que abrange cerca de 2.500 trabalhadores no Vale do Paraíba, reivindica melhores condições salariais, as empresas ofereceram um reajuste salarial de 3,8%, além de 4% de aumento nos benefícios, proposta que foi rejeitada pelos trabalhadores. O Sindicato dos Condutores inicialmente propôs um aumento de 10%, mas afirma que não houve avanços significativos nas negociações com a Busvale.

 “A partir de segunda-feira à tarde, a qualquer momento o transporte nessas três cidades pode parar, caso não haja uma contraoferta nesse período. A decisão de quando agir será interna da diretoria, mas a população deve estar ciente que após 72 horas tudo pode acontecer. Não queremos chegar a esse ponto, mas, se não tiver outro jeito, vamos partir para a luta, pois muitas vezes só conseguimos garantir os direitos dos trabalhadores na luta”, finalizou Ronaldo.

Ronaldo Costa, destaca também a necessidade de um aumento real para os motoristas e funcionários das empresas de ônibus, sublinhando a importância de valorizar o trabalho essencial prestado pelos profissionais do transporte público na região e que aguarda novos posicionamentos da Busvale antes da Diretoria efetivar a paralisação.

Imagem: Claudio Vieira/PMSJC

Receba as notícias em seu celular, clique aqui para acessar o canal do ÔNIBUS & TRANSPORTE no WhatsApp.


Receba os posts do site em seu e-mail!

Quando uma matéria for publicada, você fica sabendo na hora.