PRF descarta rompimento de eixo como causa de acidente de ônibus na Paraíba

Fonte:
G1 Paraíba

Foto: Divulgação
A
Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta quarta-feira (9) o resultado da
perícia do acidente de ônibus que deixou duas pessoas mortas em João Pessoa,
no dia 28 de setembro. A investigação descartou a possibilidade do rompimento
do eixo dianteiro ter sido a motivação do acidente. O boletim da PRF será
remetido à Polícia Civil, que é quem vai apurar de forma mais aprofundada e
apontar se houve falha humana ou algum tipo de falha mecânica.

“A
investigação agora ficará por conta da Polícia Civil, do Ministério Público e
do DER (Departamento de Estradas e Rodagens). Não descartamos a questão da
falha mecânica e nem falha humana”, afirmou o assessor de imprensa da PRF,
Anderson Poddis, durante a entrevista coletiva em que a perícia foi divulgada.
O
assessor acrescentou que o ônibus está à disposição da Polícia Civil que,
querendo, pode solicitar novas perícias para aprofundar as investigações sobre
o comportamento do veículo. “Os policiais (rodoviários federais) que atenderam
a ocorrência observaram que os danos causados ao veículo, ao pneu, inclusive o
arrancamento do eixo foi por ocasião da colisão com a base de concreto”,
declarou.
Poddis
destacou também que o ônibus foi fabricado em 2005, mas que em função dos danos
ocorridos durante o acidente não foi possível verificar o estado de conservação
do veículo. O assessor da PRF disse ainda que não foi registrada frenagem
brusca, nem mudança de direção repentina. O ônibus estaria a 80 quilômetros por
hora no momento do acidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.