Ônibus se organizam nos aeroportos

Fonte: OTM Editora

Fotos: Divulgação
A menos de quatro meses do
início dos jogos de futebol da Copa do Mundo, os aeroportos e as
concessionárias que realizam o transporte de passageiros por ônibus dentro dos
terminais aéreos preparam-se para atender ao aumento do movimento decorrente do
mundial.


Para fazer
frente não apenas à previsão de um aumento de 15% na demanda durante a Copa de
2014, mas também àquela projetada para os próximos anos no setor aéreo
nacional, a Infraero está adquirindo 58 novos ônibus para reforçar sua frota –
que hoje é composta por 70 ônibus e 52 micro-ônibus. Esses novos veículos serão
distribuídos entre os aeroportos administrados pela Infraero, seguindo
critérios de demanda de cada terminal. Atualmente, a empresa administra 63
aeroportos no país.

A frota
atual da Infraero é composta por ônibus da Busscar. Os 58 que serão entregues
este ano serão produzidos pela Mascarello, vencedora do processo licitatório
feito para essa compra. Todos os modelos são low entry, com capacidade para 30
pessoas sentadas e 22 em pé. Os micro-ônibus são da encarroçadora Volare e têm
capacidade para até 28 passageiros sentados. A administradora não informou a
idade média da frota atual, mas afirmou que a maioria dos veículos é de modelos
2009.

O veículo
destinado ao transporte de passageiros realizado em aeroportos é diferente de
um veículo utilizado no transporte público (linhas urbanas) e do veículo
utilizado em linhas rodoviárias. A frota da Infraero tem por característica o
piso baixo para facilitar o acesso dos passageiros, uma vez que o piso do
ônibus encontra-se a 0,37 cm do nível do solo. Todos os veículos possuem
ar-condicionado.

Os ônibus
têm equipamentos que aumentam a segurança dos passageiros, como câmera de ré,
câmbio automático, aviso sonoro em marcha ré, sistema que impede que o veículo
trafegue com a porta aberta, sistema sonoro no posto do motorista e rampa de
acesso para cadeirante com sensor acoplado. No caso dos micro-ônibus, a maioria
dos veículos possui elevador para deficientes ou cadeirantes e todos são
equipados com ar-condicionado.

Atualmente,
a Infraero mantém sete contratos relacionados à mão de obra para operação dos
ônibus dentro dos terminais de passageiros e a administradora informou que está
também analisando medidas para reforçar as equipes de motoristas. “Durante a
realização da Copa, há um planejamento já definido para remanejamento de
profissionais de outras áreas – empregados da Infraero com a devida habilitação
– para suprir eventuais necessidades”, informou a empresa, em comunicado
oficial.

CONGONHAS
No terceiro aeroporto mais movimentado do país, o Aeroporto de Congonhas, em
São Paulo, administrado pela Infraero, pouca coisa deve mudar durante a Copa.
Como em sua operação há restrições no número de slots, ou seja, a movimentação
de aeronaves no terminal é restrita a 34 pousos/decolagens por hora, a
preparação para a temporada do mundial assemelha-se às ações que já são
adotadas nos períodos de alta temporada, como feriados e férias.

Diante
disso, a administradora informou que o Aeroporto de Congonhas já dispõe de
infraestrutura suficiente para os atendimentos em caso de aumento da ocupação
dos voos. “Cabe ressaltar, ainda, que o aeroporto é dotado de 12 pontes de
embarque. A utilização dos ônibus, portanto, acontece apenas quando da
utilização dos demais portões, para acesso às aeronaves estacionadas em
posições remotas”, explicou a empresa em nota oficial, acrescentando que não há
previsão, no atual planejamento, de a empresa adquirir novos veículos para
incremento da frota.

Hoje a
frota do Aeroporto de Congonhas é composta por 19 ônibus convencionais e um
micro-ônibus, todos da Infraero, além de um micro-ônibus pertencente a uma
empresa contratada. Os ônibus convencionais têm chassis Volvo, com capacidade
para 23 passageiros sentados e 29 em pé, e Mercedes Benz, com capacidade para
19 passageiros sentados e 33 em pé. Todos têm capacidade para até 52
passageiros, são dotados de ar-condicionado e elementos de acessibilidade, como
rampa junto à porta central para acesso de cadeirantes – apesar do atendimento
para clientes portadores de necessidade especiais ser feito, prioritariamente,
através das pontes de embarque.

Já os micro-ônibus são da
Volare, com 16 assentos – o que pertence à empresa contratada – e com 25
assentos, o da própria Infraero. A frota tem uma idade média de oito anos. 

Hoje a
empresa transporta uma média mensal de 500 mil passageiros nas posições
remotas, que precisam utilizar ônibus para o transporte. De acordo com a
Infraero, até o fechamento desta edição ainda não havia previsão consolidada da
movimentação para o período da Copa do Mundo.

Guarulhos
No mais movimentado aeroporto do país, o Aeroporto Internacional de Guarulhos –
administrado pela Invepar –, haverá um reforço na equipe no período dos jogos
da Copa, principalmente de funcionários da área operacional, que atuam no
saguão de embarque e desembarque e no pátio de manobras.

Porém, em
relação ao transporte interno de passageiros, a operadora afirmou que hoje o
aeroporto conta com uma frota de 34 ônibus que consegue atender à demanda
prevista para a Copa. Além disso, o Terminal de Passageiros 3, que será
inaugurado no dia 11 de maio, contará com 20 pontes de embarque, ou seja, a
maioria dos passageiros desse terminal fará o embarque e o desembarque por meio
dos fingers, reduzindo necessidade de operações em posição remota, que utilizam
ônibus.

Segundo
Antonio Montano, diretor-adjunto de operações de Guarulhos, são transportados,
em média, 60 mil passageiros por dia. “Acreditamos que o movimento na Copa se
assemelhe a um mês de alta temporada, como dezembro ou janeiro. Durante esses
meses, a média de passageiros transportados é de 65 mil por dia”, compara.

Os 34
ônibus da frota de Guarulhos são da já extinta encarroçadora Busscar, com
chassis Volkswagen, cada um com capacidade para 50 passageiros. A idade média
da frota é de quatro anos. A empresa Pássaro Marron opera com seis ônibus e os
demais veículos fazem parte da frota própria do GRU Airport.

VIRACOPOS
Considerado o maior centro de carga aérea do país, o Aeroporto Internacional de
Viracopos, na cidade de Campinas (SP) – cuja concessão é da Aeroportos Brasil
Viracopos –, conta com uma frota de 16 ônibus convencionais e um micro-ônibus
que, segundo informações de Everaldo Cavalcante, gerente de operações de
Viracopos, será suficiente para atender à demanda do mundial.

O novo
terminal de passageiros, que começará a operar em maio deste ano, não deverá
alterar essa expectativa porque, conforme contou Cavalcante, o local vai contar
com 28 pontes de embarque/desembarque de passageiros, não sendo necessário o
uso de ônibus. Além das 28 pontes de embarque, o aeroporto terá sete posições
remotas.

A atual frota é composta por cinco ônibus Mercedes-Benz, um Volvo e dez
Volkswagen que têm capacidade para 65 passageiros – 35 em pé e 30 sentados. A
idade média da frota é de cinco anos. Todos os ônibus possuem ar-condicionado e
rampa de acesso.
Viracopos também possui um
ambulift – veículo adaptado com uma plataforma elevatória – para realizar com
mais segurança e agilidade o embarque e o desembarque de portadores de
necessidades especiais. No ano passado, passaram por Viracopos 9,29 milhões de
passageiros. Segundo Cavalcante, todos os colaboradores que operam os ônibus
estão passando por treinamento de acessibilidade e de inglês.

AIRPORT BUS
SERVICE
– Além do serviço de transporte interno de passageiros por ônibus, há
as linhas que fazem o traslado dos viajantes de um aeroporto para o outro. É o
caso do Airport Bus Service, operado pela Serveng Transportes, que leva as
pessoas que embarcam ou desembarcam entre os aeroportos de Guarulhos e
Congonhas.

Com uma
frota composta de 47 ônibus, sendo 33 seletivos e 14 comuns, a empresa planeja
receber o incremento de 20 ônibus, sendo 15 ônibus seletivo e cinco comuns. “O
modelo deverá seguir os mesmos padrões de qualidade da frota atual. Para
atender à demanda extra prevista para o período de realização da Copa do Mundo,
a empresa tem investido na qualificação dos profissionais que trabalham na
prestação do serviço, implantação da internet móvel nos ônibus, além de
reforçar a frota para atender à expansão das linhas”, declarou Vanda Almeida,
consultora comercial da empresa.
O Airport Bus Service
transporta, em média, 60 mil passageiros por mês. A expectativa da Serveng
Transportes é de que esse número aumente até 20% durante a competição. Segundo
Vanda, ao embarcar, os passageiros do Airport Bus Service contam com ônibus
equipados com ar-condicionado, poltronas confortáveis, espaço bus office com
mesa e tomada, frigobar, banheiro, TV, auxiliar de plataforma e serviço de
bagagens ilimitadas, sem cobrança adicional.

A frota de
ônibus seletivos é composta por 20 Irizar Century e 13 Irizar PB e os ônibus
comuns reúnem 12 Caio Millennium II e dois Caio Millennium III. A idade média
dos veículos é de 2,6 anos.

De acordo
com Vanda, no projeto da Copa, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos
de São Paulo (EMTU/SP) que fiscaliza e regulamenta o transporte metropolitano
de São Paulo, contempla na proposta uma linha até o estádio.

Dentro da proposta de qualificar a mão de obra dos funcionários envolvidos no
atendimento e oferecer mais um diferencial aos passageiros, o Airport Bus
Service firmou uma parceria com a Seven Idiomas para capacitação de 120
funcionários, entre motoristas, bilheteiros e fiscais. Os colaboradores foram
divididos em dez turmas que participam de curso de inglês instrumental, com dez
meses de duração. Com duas aulas semanais, o curso é totalmente voltado para as
situações vivenciadas no dia a dia do profissional, informou Vanda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.