Gustavo Amorim da Costa: Da Expresso Paraibano a política

Fonte:
Cidades – Histórias e cotidiano / Portal Ônibus Paraibanos
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team


A Expresso Paraibano de Gustavo Amorim da Costa
Nasceu
na zona rural de Mulungu, em 22 de outubro de 1923, Gustavo Amorim da Costa,
mais um dos filhos do humilde casal João (Joca) Batista de Amorim e Raquel
Raimundo de Amorim.

A
vida campesina a que se acostumara Gustavo, fizera-o um trabalhador da família,
ajudando aos pais nas tarefas possíveis, para poder mantê-la dentro dos
princípios cristãos e morais. Em muitas ocasiões, o jovem Gustavo transportara
no lombo de animais cargas de mercadorias para serem vendidas nas feiras livres
dos municípios vizinhos a Mulungu, e assim o dinheiro conseguido seria
fornecido aos pais. Desse trabalho, certamente aprenderia a ser econômico e a
administrar a sua vida.
 
Ao
residir em Guarabira, Gustavo ou Tavinho, na intimidade do lar e para os amigos
mais próximos, conseguiu emprego de cobrador e auxiliar de motorista com
Vicente Bezerra, motorista veterano que transportava feirantes para cidades da
região nos dias de feira livre. O jovem empregado aprenderia a caminhada do
sucesso individual e vendo que o campo de trabalho era vasto, se tornou
proprietário de caminhão misto e deu início ao seu empreendimento, também
transportando mercadorias e feirantes. Logo, compraria uma marinete – van na
atualidade, conduzindo os passageiros de forma mais confortável.
 
Expandiu
suas amizades e com as economias que conseguiu fazer, foi aumentando a sua
frota chegando a ter uma das maiores empresas de ônibus da Paraíba, batizada
como EXPRESSO PARAIBANO, constituindo linhas diárias e importantes para João
Pessoa, Nova Cruz-RN, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. Nunca um guarabirense
conseguira crescer tanto e através do suor do seu rosto, chegando a concorrer
com empresas importantes como Bonfim, Real e Nacional.
Enquanto
prosperava, casara-se com Maria Paulino, bela jovem da sociedade guarabirense,
que viria a ser a sua amada até o momento final da sua existência, em 1973.
Essa mulher de tradicional família com forte tino empresarial e trabalhadora,
muito o ajudou a ampliar a empresa de ônibus.
 
A
empresa Expresso Paraibano foi muito importante para Guarabira e região, dando
dezenas de empregos a motoristas, mecânicos e cobradores ,na sua frota com
quase 30 ônibus viajando pelas estradas da Paraíba, do Nordeste e do Sudeste
brasileiro.
 
A
Expresso Paraibano surgiu entre as décadas de 40 e 50, na cidade de
Guarabira-PB, sendo fundada por Gustavo Amorim da Costa que era também
parente dos donos do Expresso Guarabirense(se não me engano, irmão do
dono da Guarabirense). Além de empresário bem sucedido, foi vereador e prefeito
de Guarabira e ainda chegou a ser deputado estadual na década de 70.
A
PARAIBANO possuía linhas da região polarizada
por Guarabira para João Pessoa bem como linhas para o
sul do país, saindo de João Pessoa e Guarabira para o Rio de
Janeiro. Uma curiosidade, é que na época em que se candidatou a prefeito de
Guarabira, nos anos 60, transportava eleitores de graça para o sul do país.
Ao
entrar no política, Gustavo Amorim seria eleito prefeito de Guarabira ao lado
do farmacêutico Genival Barbosa de Lucena, pelo MDB – Movimento Democrático
Brasileiro, nas eleições de  1968, obtendo uma maioria de 543 votos,
contra os adversários pela ARENA I – Aliança Renovadora Nacional, Sílvio Pélico
Porto e José (Zezinho) Nazareth Porpino, e ARENA II, que teve como candidatos o
industrial Otávio Patrício da Silva e o professor/empresário Severino Gomes de
Lima. Gustavo obtivera 4.223 votos e os outros candidatos arenistas a soma de
3.680 sufrágios.
 
Em
30 de dezembro de 1971, Gustavo foi substituído no mandato pelo vice Genival
Lucena, por ter sido cassado pela Câmara de Vereadores porque vendera as ações
da Petrobras para aplicar o dinheiro arrecadado em obras públicas. Retornou à
prefeitura ainda na primeira quinzena de fevereiro de 1972 e pode assim cumprir
o seu mandato até o final, 1973.
 
Suas
obras ainda estão espalhadas pela cidade e zona rural como sejam a fundação e
funcionamento da FAFIG – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de
Guarabira, Cemitério Bom Jesus, pavimentação em paralelepípedos nas ruas José
Bonifácio, São José e Rosário, Santa Terezinha, rua da Rodagem (atual
Desembargador Pedro Bandeira), Cordeiro, São Manoel e Nordeste I e II.
 
Foi
eleito deputado estadual em 1972, pelo MDB de Guarabira, tendo sido diplomado
às escadarias do Tribunal Regional Eleitoral em João Pessoa, porém não
conseguiu assumir o mandato na Assembleia Legislativa, acometido que fora de
infarto do miocárdio que o levou à morte em 13 de janeiro de 1973. O seu
mandato foi concluído pelo então suplente Frei Marcelino, que disputara uma
cadeira de deputado estadual pelo Sertão Paraibano.
Ainda
nos anos 70, a Expresso Paraibano vende suas linhas João Pessoa
X Rio de Janeiro e Guarabira X Rio de Janeiro a Viação Itapemirim. No
entanto, com a morte de Gustavo a Paraibano fica nas mãos de viúva e filhos e
com o passar do tempo, a empresa começa a passar por crise financeira ao longo
dos anos 80 e 90, chegando a alugar ônibus para suprir horários e com uma frota
bem deteriorada.
A
população guarabirense tem no bairro do Cordeiro, um dos mais importantes da
cidade, uma Escola Estadual que recebe o nome desse ilustre homem guarabirense,
GUSTAVO AMORIM DA COSTA, que honrou a esta sociedade, tanto em termos
empresariais como na vida política, embora muito curta. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.