Revitalização da rede depende de edital, diz STTU

Fonte:
Tribuna do Norte
Foto: JC Barboza


Procurada para comentar o resultado da pesquisa, a Secretaria Municipal de
Mobilidade Urbana (STTU) afirmou que melhorias no sistema de transportes
dependem de convênios com o Governo Federal ou do próprio edital de licitação
do transporte público, que ainda está em elaboração. De acordo com a Secretária
Municipal de Mobilidade, Elequicina dos Santos, o projeto ainda depende de
aprovação de projeto de lei na Câmara Municipal de Natal.

As primeiras propostas apresentadas à população na semana passada traziam
melhorias na estrutura dos ônibus: frota com até cinco anos de uso, ônibus de
piso baixo e com ar-condicionado são algumas das exigências do processo
licitatório. Outro item que vai contar é a manutenção de abrigos de ônibus.

Segundo Elequicina, algumas melhorias dependem da licitação do transporte. “A
STTU já articulou verbalmente com a Semov (Secretaria Municipal de Obras
Públicas e Infraestrutura) para que a pavimentação dos principais corredores da
nova rede seja feita. Mas ainda estamos finalizando a rede”, exemplificou.

O Município aprovou de R$ 14 milhões para construção de 1052 abrigos de ônibus
na cidade. O projeto aguarda aval da Caixa Econômica Federal. A STTU 
também aguarda a abertura do orçamento municipal para revitalizar 35 abrigos.
Outro investimento seria a criação de faixas exclusivas e semi-exclusivas e o
BRT (Bus Rapid Transit).  “Se você não der prioridade ao ônibus na via,
nunca vai melhorar a qualidade”, acrescenta Elequicina.

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Natal, atribui a qualidade
do serviço oferecido à falta de investimento na rede. Segundo Nilson Queiroga,
consultor técnico do Seturn, a desafagem da tarifa impede a renovação da frota,
por exemplo. De acordo com ele, se considerados todos os  critérios
requeridos na licitação, o valor da passagem “não ficaria abaixo de R$ 3”. “Mas
pode dar o aumento que for, se a Prefeitura não melhorar o trânsito, não vai
melhorar o sistema”, asseverou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.