E-Commerce rodoviário atingirá o mesmo patamar do aéreo em até 10 anos

De Frota & Cia
Imagem Weiller Alves

Progresso 6084 - 2014-11-20 - AJU-4

A ClickBus, empresa de vendas online de passagens rodoviárias, divulgou uma pesquisa que mostra que as ferramentas de e-commerce atuais respondem por 5% do total de passagens vendidas no País. Para o CEO da ClickBus, Fernando Prado, o setor rodoviário atingirá o mesmo patamar de vendas online do setor aéreo, que atualmente é de 70%, em até 10 anos.

“As empresas de ônibus têm se modernizado bastante nos últimos dez anos; com a compra de novos ônibus, lançamento de serviços como wi-fi e adesão ao mundo do e-commerce. Essa migração para a internet amplia a credibilidade do setor junto ao consumidor, que passou a ter a mesma facilidade que tinha com reserva de hotéis, aluguel de carro, e compra de pacotes de turismo”, explica.

O profissional destaca que antigamente os passageiros tinham dificuldades em planejar suas viagens, consultar destinos e o preço das passagens. Antes, era necessário se deslocar até uma rodoviária que nem sempre atendia determinadas rotas.

“Com a entrada do rodoviário na Internet e com o lançamento de plataformas como a ClickBus, esse processo tornou-se muito mais simples e funcional. Atualmente, o passageiro pode visualizar melhor cada detalhe da sua viagem, horários precisos de saídas, tipos de serviços, preços e os terminais de embarque e desembarque dentro da sua rota”, ressalta Prado.

O setor rodoviário transportou 160 milhões de brasileiros em 2016, vendendo 7,9 milhões de passagens online no período. Segundo o executivo, os investimentos tanto em tecnologia quanto na qualidade dos ônibus fizeram com as pessoas enxergassem o transporte rodoviário com um novo olhar.

“Para este ano nossa expectativa é que o setor online rodoviário irá vender 9,7 milhões de passagens. Além disso, podemos dizer que viajar de ônibus hoje é muito mais confortável do que antigamente, e as pessoas estão notando isso através dos novos serviços que são oferecidos pelas viações”, conclui.