Volvo vai fornecer 564 ônibus para Santiago, no Chile

Serão 472 ônibus convencionais e 92 articulados, que correspondem a 87% da nova frota Euro 6 licitada da cidade.

Na mais importante licitação de ônibus urbanos da América Latina em 2021/2022, mais uma vez a Volvo será uma das principais fornecedoras de veículos para a capital do Chile. Serão 472 ônibus convencionais e 92 articulados, que correspondem a 87% da nova frota Euro 6 licitada da cidade. Nesta semana houve a adjudicação da concessão do uso de vias das seis unidades de serviço da capital. Considerada um divisor de águas no segmento, a licitação da Red Metropolitana de Movilidad, como é chamado o sistema de ônibus de Santiago, separa provedores de frota e operadores de frota, num redesenho do modelo tradicional de sistema público de transporte.

Os veículos Volvo serão operados pela RedBus, uma das empresas concessionárias que já compõem a Red Metropolitana de Movilidad, e pela Metropol, tradicional operador argentino que está incursionando internacionalmente neste processo no Chile. “Temos longa experiência em Santiago, com participação desde o início do sistema da cidade. Há anos os ônibus Volvo contribuem para melhorar a mobilidade urbana na capital chilena, oferecendo conforto e segurança aos passageiros”, afirma Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America. “A Volvo tem um compromisso permanente no desenvolvimento urbano de Santiago, com contribuições efetivas em qualidade, segurança e conforto em nossos ônibus, tanto para passageiros quanto para motoristas. Estamos confiantes que a chegada desses novos veículos será mais uma contribuição importante para todos os atores do transporte público de Santiago”, complementa Jorge Masias, presidente da Volvo Chile.

Novo desenho

A licitação que definiu os novos parâmetros para a Red Metropolitana de Movilidad trouxe inovações. Houve separação entre as empresas proprietárias dos ônibus, chamados de “Provedores de Frota” (Capex) e as empresas que irão operar os veículos, chamados de “Operadores de Frota” (Opex). O primeiro grupo garante o fornecimento dos ônibus, enquanto o segundo se dedica a colocar os veículos para rodar no dia a dia, incluindo sua manutenção. Os ônibus Volvo serão de propriedade da Volvo Financial Services, divisão financeira do Grupo, que receberá valores mensais para disponibilizar os veículos às empresas operadoras. “Este modelo de operação é pioneiro no continente. Estamos preparados para avaliar este conceito também para as demais metrópoles da nossa região, sempre em parceria com a Volvo Buses”, assegura Carlos Ribeiro, presidente da Volvo Financial Services na America do Sul.

Os novos parâmetros demandam mecanismos que elevam a qualidade do novo desenho para o sistema. “Os contratos estabelecem certificação permanente da manutenção dos ônibus ao longo de sua vida. O objetivo é assegurar máxima disponibilidade dos veículos, com segurança aos passageiros”, argumenta Alexandre Selski, diretor de vendas estratégicas da Volvo. Há ainda exigência de treinamento de motoristas e pessoal de manutenção, além de sistemas de telemetria para a gestão online dos ônibus e da operação.

Ônibus de última geração

As 92 unidades articuladas são do modelo Volvo B8R articulado, iguais às 200 unidades entregues pela marca para Santiago no ano passado. É um chassi com entrada baixa, capacidade para 180 passageiros e motor traseiro de 8 litros. Os demais 472 ônibus também são do modelo Volvo B8R com entrada baixa, só que na configuração convencional, para 78 ou 95 passageiros, dependendo da configuração interna. “São veículos de última geração, com alta tecnologia embarcada, com sistema de freios eletrônicos a disco, suspensão eletrônica, sistema de gerenciamento de frotas Volvo Bus Connect, serviço conectado de gerenciamento de regiões de segurança, dentre outros recursos”, afirma José Antonio Margalet, diretor comercial de ônibus da Volvo Chile.

Os chassis Volvo serão produzidos nas fábricas da marca em Curitiba (Brasil) e Borås (Suécia). As carrocerias do operador RedBus serão fornecidas pela Marcopolo, produzidas em Caxias do Sul (RS) e as carrocerias do operador Metropol serão fornecidas pela Caio, produzidas em Botucatu (SP).

Rede integrada

A Red Metropolitana de Movilidad conecta fisicamente e em tarifa todos os ônibus de transporte público da cidade ao Metrô de Santiago e ao MetroTren, sistema de trens.

A integração dos três modais é paga por um único meio: o cartão bip. Os usuários que circulam nos ônibus, Metro e MetroTren podem fazer até dois traslados pelo valor de um único bilhete em até duas horas.

O sistema de ônibus da Red atende cerca de 6,2 milhões de usuários nos 32 municípios da Região Metropolitana, mais Puente Alto e San Bernardo, uma área geográfica e urbana de cerca de 680 km2. Em um dia útil, são feitas cerca de três milhões de transações nos mais de dois mil ônibus do sistema.

, , , ,
0compartilhamentos

Inscreva-se na nossa newsletter