Sem apoio do governo, fretadores protestam em Bauru (SP)

Três mil empregos em risco e 20 empresas ameaçadas de cassação. Esses são os argumentos apresentados pela Associação Brasileira dos Fretadores Colaborativos (Abrafrec) para fazer novo protesto hoje em Bauru. A entidade, que representa mais de 200 empresas fretadoras, quer chamar a atenção para a importância de serem tomadas ações concretas para evitar a paralisação das atividades das empresas de ônibus responsáveis pelo transporte fretado de passageiros. O ato ocorre na manhã desta segunda-feira (30), durante o evento Governo na Área, com a presença do governador Rodrigo Garcia e parte do secretariado estadual nas Faculdades Integradas de Bauru (FIB).

Essa não é a primeira vez que a classe se manifesta. Desde fevereiro, fretadores lutam contra apreensões irregulares e infundadas da Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) e, por isso, têm acompanhado agendas do governador buscando uma solução definitiva para o problema.

“O estado apenas agenda reuniões, sem nenhum avanço. Ao contrário, a Artesp até intensificou as apreensões irregulares nas estradas. O governador pretende esperar o mercado explodir para oferecer uma solução para os fretados, que continuam sendo apreendidos e ameaçados de cassação por diversas empresas. Mais uma vez, o estado se mantem em defesa dos barões dos ônibus”, lamenta Fernando Rodrigues, vice-presidente da Abrafrec.

Apenas no estado, mais de 20 empresas que realizam viagens por fretamento estão ameaçadas de cassação em razão dos impasses nas negociações com a Artesp. Caso isso ocorra, o prejuízo seria de mais de 3 mil empregos de trabalhadores com carteira assinada perdidos.