O perfil de Kristofer Oliveira

Fonte: Portal Ônibus
Paraibanos
Matéria/Texto: JC Barboza
Fotos: Kristofer Oliveira

Em mais um edição da “Coluna:
Perfil”, apresentaremos o participante Kristofer Oliveira, nosso amigo de João
Pessoa, um dos mais antigos membros da Paraíba Bus Team/Ônibus Paraibanos, que
participa do hobbie desde 2007 pela internet, e que colabora sempre e participa
com textos, matérias, especiais, séries históricas e tudo mais. Não temos como
dizer qual foi o momentos mais marcante do Kristofer dentro do nosso portal, mas
que são suas imensas colaborações todos os momentos marcantes. Na foto ao lado,
para ilustrar e começar essa matéria, um clássico rodoviário Marcopolo III SE da
Viação Nordeste, no interior da Paraíba com a pintura original intacta. Vamos
conferir o perfil desse grande amigo, membro e colaborador do Portal Ônibus
Paraibanos!!!


Nome completo: Kristofer Silva
Oliveira
Idade: 28
Aonde mora: Cristo, João Pessoa/PB
Sua Profissão: Funcionário Público
Como e quando começou a sua admiração por
ônibus? Conte-nos como como começou a curiosidade o assunto!

Assim como boa parte das pessoas, a admiração
começou na infância. Meus pais falavam que eu detestava andar de carro e que eu
chorava para andar de ônibus, especialmente os da Setusa, isso quando eu tinha
de três para quatro anos. A idade foi passando e a admiração aumentava. Eu tinha
vários ônibus de brinquedo e fazia alguns incrementos, tentando ao máximo deixar
igual as empresas de João Pessoa na época, alterando as pinturas, colocando
prefixo, itinerário frontal e lateral, além de improvisar adesivos de diversos
produtos para fazer os outbus. No quintal da minha antiga casa fazia várias
pistas e ali improvisava garagens, paradas de ônibus, etc. Também desenhava em
cadernos, mas eu era um desastre nessa arte (ainda sou).
Antigo urbano Ciferal, fotografado em Alagoa Grande
Como eu morava distante do centro, além de estudar
no próprio bairro (Funcionários II), normalmente só ia ao centro no final de
semana. Só no início da adolescência que saia com mais frequência. Em ambas
circunstâncias, sempre gostava de ir na janela ou no fundo do ônibus que tinha
vidro traseiro para admirar a frota no caminho. Felizmente eu morava perto de
uma principal do bairro, na qual tinha a oportunidade de acompanhar a frota da
Setusa, Etur, e Transnacional, e depois, Reunidas e Boa Viagem.
E a oportunidade de após os 11 anos de idade ter
um terminal da Reunidas na esquina da minha casa me proporcionou uma grande
oportunidade de acompanhar mais de perto toda a rotina. Curioso que nas férias
eu gostava de acordar cedo para ver se tinha alguma novidade na frota e para ver
qual os que estavam fora de linha nas 101, 114 e 1510.
A cada ano também esperava com grande expectativa
os catálogos de telefone para ver a parte destinada as linhas da cidade. Ainda
na adolescência eu comecei a colecionar tíquete estudantil, na qual eu tenho uma
grande coleção, além dos calendários.
Como eu pensava que eu era o único que gostava de
ônibus, sequer me dava ao trabalho de fazer pesquisas na Internet relacionado ao
assunto. Só a partir de 2007 que comecei a pesquisar e encontrar algumas coisas
da Paraíba. Dentre eles, o Gigafoto do Hermínio Barros e a comunidade “Ônibus
Paraibanos” no Orkut. Desde então que comecei e aqui estou eu!

Qual ônibus antigo (fora de linha) que mais
aprecia?

É difícil escolher um, mas fica entre o Caio
Vitória e o Torino 1989. Ambos marcaram profundamente minha admiração na época.
Só quem vivenciou os anos 90 é que sabe do que eu falo.
Antigo Torino 1989, da empresa Wilson de Bayeux
Quais
empresas você admira?
Reunidas,
por vê-la nascer e se desenvolver; Brisa Mar, por acompanhá-la nos últimos anos
e ter obtido uma identificação por ela; E a Bonfim, pela perseverança e
pioneirismo do Severino Camelo, mas que ao mesmo tempo é a minha grande
decepção, pois poderia ser uma empresa regional forte se não fosse por motivos
que eu não quero citar aqui.
O
que você acha da busologia atualmente?
Uma
verdadeira arca-de-noé! Tudo se encontra nesse hobby, desde exemplos de vida e
referências a uma tentativa de transformá-la em uma ciência, sem falar de
alguns que tentaram ou que ainda tentam transformá-la numa espécie de
“movimento messiânico”. O hobby cresceu muito nos últimos anos, as
mídias de suporte para divulgação acompanhou razoavelmente esse crescimento,
mas a essência do hobby devido a uma parcela significante dos adeptos
retrocedeu incrivelmente. Mas tudo é um reflexo do que a sociedade
“teen” é hoje no país.
Já vi vários vídeos no Youtube de
diversas regiões no país mostrando o comportamento de grupos nos terminais
rodoviários e urbanos. É de causar arrepio! Depois que proíbem se fazem de
vítima na rede. O Ônibus Brasil é muito criticado também. Lógico, o hobby não se
resume apenas a fotografia, mas claro que para alguns o foco é esse. Custa ler
as regras do sítio ou tentar se desapegar da “foto da hora” ou dos tops? Para
minhas pesquisas e meu interesse dentro do hobby, especialmente para encontrar
ônibus paraibanos em outros estados, essa página é ótima.
Interessante que alguns encontraram dentro do
hobby um refúgio para seus problemas. Ótimo, pode ser uma forma de distração,
lazer, dando uma “oxigenada” na mente, relaxando-a. Entretanto, o problemática
maior é quando esse momento passa a ditar a vida do indivíduo, e até mesmo,
dependendo do seu envolvimento, confundir a realidade da vida com a sua
fantasia, vivendo dentro de um estado, digamos, catatônico. Freud retrata muito
bem a sua teoria quando aborda o assunto da sublimação. A criatividade é
excelente, não tenho dúvidas disso, porém, desde que o indivíduo tenha noção do
que está fazendo.
Muitas páginas existem pelo país afora, que
abordam todo tipo de assunto. Assim como tudo na vida, basta ser filtrado o que
te interessa e o que é bom. Porém, para alguns, o que é bom passa a ser ruim ou
repugnante se for produzido por alguém que não pertence ao seu nicho, pois é
difícil desassociar amizade de senso crítico. Quanto as demais discussões que
ocorrem seja lá por que for, dentro ou fora do OB, boa parte é fruto da
desinformação geral, pois sem ler e sem estudar coisas fora do hobby fica
difícil.
Existe vida fora do hobby! Viajar para aproveitar
determinado local sem pensar em ônibus, fazer amizades, ler um livro ou arranjar
uma namorada ou namorado (no caso dos bissexuais, homossexuais ou busólogas)
evitaria boa parte desse estresse.
Enfim, o hobby atualmente tem coisas boas e ruins,
assim como todas as vertentes sociais. Vai depender muito dos seus adeptos a
conotação que estes o darão as suas respectivas vidas e da sua interação no
meio. Tem grupos que conseguiram alcançar e manter a essencia do hobby, fazendo
suas produções e promovendo os seus encontros.
Qual sua opinião sobre o sistema de transporte
na Paraíba, especialmente em João Pessoa?

O esqueleto da estrutura do sistema em vigência em
João Pessoa data dos anos 70, sofrendo intervenções significativas ao longo das
décadas, a exemplo da transferência dos terminais das linhas para os bairros
(para quem não sabe antes era no centro da cidade), criação de linhas
circulares, integracionais e diametrais, criação de terminais de integração,
bilhetagem eletrônica. O sistema pessoense, apesar de antigo e ter acompanhando
dentro das suas possibilidades a evolução tecnológica, não é dos piores, mas
para a atual dinâmica da cidade não funciona mais em determinados casos. O
grande trunfo utilizado pelos gestores do transporte é a média da idade da
frota, mas isso é pura ilusão, pois um sistema de qualidade a média da frota é
apenas um detalhe. Se não for feito uma intervenção forte nos próximos anos, a
coisa ficará feia.
As ciclovias também deveriam fazer parte do
sistema de mobilidade, como ocorre nas cidades que se desenvolveram tendo o foco
da qualidade de vida. Talvez não faça parte do projeto por questões culturais e
de interesses: bicicleta é uma prática desportiva, se for utilizado como meio de
transporte é coisa de pobre; alguém que usa bicicleta para se locomover é um a
menos que paga passagem, um a menos que não comprará combustível, um a menos que
não pagará IPVA, seguros, etc, caso não tenha carro, um a menos que poderá mais
na frente não ter tantos problemas de saúde, e consequentemente, não comprar
medicamentos… enfim… tudo contra o interesse do estado em angariar cada vez
mais impostos.
Conte-nos um fato curioso que você vivenciou
relacionado com ônibus.

Dentre tantos, destaco um quando eu tinha 9 anos
de idade, em 1994. Estava retornando com minha mãe para casa no domingo a noite
por volta das 22 horas, dentro de um Torino 1989 F-113 da Etur, na linha 5110. O
ônibus parou no terminal, no Costa e Silva (quando era junto com a 102) e o
cobrador pediu para que todos que estavam atrás passassem porque ele teria que
fechar o caixa da viagem para recolher. Na época, a 5110 só ia até o Grotão
quando estava recolhendo. Todos passaram, menos um bêbado que estava totalmente
desorientado e disse que só passaria quando chegasse a São Paulo. Após muito
tempo com o cobrador insistindo, ele pegou uma nota alta para pagar. O cobrador
emputecido, teve que dar o troco todo em moeda, o que deixou o bêbado furioso.
Em seguida, ele deu um tapa na mão do cobrador e derrubou todas as moedas. O
motorista veio intervir e junto com o cobrador, expulsaram o cidadão do ônibus e
seguiram viagem. Ao ver essa cena do bêbado, ri bastante, assim como os demais
que estavam por lá.
Qual sua opinião em relação ao
trabalho realizado pelo Ônibus Paraibanos?

Quando a proposta foi lançada, tínhamos a
necessidade de transformar em matérias o conhecimento dos membros e dos debates
diversos gerados nas nossas conversas e na comunidade. Felizmente na época todos
já tinham uma certa maturidade e carga dentro do hobby, o que contribuiu
bastante para a consolidação da marca. Outras pessoas se juntaram a nós ao longo
do tempo ou passaram a contribuir de forma significativa. Com todo esse tempo
que passou, vejo que dentro da nossa proposta inicial alcançamos o nosso
objetivo. Eu não me arrependo de ter deixado a minha página pessoal de lado e
ter apostado nessa. Dentro das nossas possibilidades é uma boa página.
Visitem a galeria de fotos de Kristofer
Oliveira no Ônibus Brasil:


1 comentário em “O perfil de Kristofer Oliveira”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.