A Empresa Municipal de Transporte Coletivo de João Pessoa – EMTC

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos


Texto: Enver José

Fotos: Acervos Paraíba Bus Team


Em novembro de 1987 a Prefeitura Municipal de João Pessoa que tinha como
prefeito Carneiro Arnaud, anuncia a criação da Empresa Municipal de Transporte
Coletivo (EMTC). Inicialmente foi aberto um processo licitatório com a criação
de duas linhas circulares de ônibus, porém as empresas privadas não
participaram da concorrência, pois alegaram que as linhas 1500 e 5100 não
gerariam lucro. 

Apesar dos
empresários não terem concorrido por essas linhas, nós vamos provar que
são linhas rentáveis, porque o número de pessoas que fará o uso desses ônibus
será bastante considerável. (Prefeito Carneiro Arnaud, em entrevista ao Jornal
“A União”, 3 de Janeiro de 1988).

A Prefeitura Municipal de João Pessoa decide então,
criar a EMTC com o objetivo de realizar o percurso de linhas interbairros. A
ideia era implementar as linhas 1500 e 5100 circulares, com uma frota inicial de
20 ônibus. Um dos benefícios proclamados pela prefeitura da época, era que com
a criação das linhas circulares, o pessoense iria economizar tempo
e passagem, já que estas possuiriam grandes trajetos. Em relação ao preço
das passagens, estes  seriam os mesmos
das empresas privadas.

As linhas
circulares terão numeração de 5100 e 1500. Estes últimos partirão de
Mangabeira, passando pelo conjunto Valentina Figueiredo, Ernesto Geisel,
Grotão, Tancredo Neves, Costa e Silva, Distrito Industrial, Cruz das Armas,
Epitácio Pessoa e Retornarão a Mangabeira. Os de número 5100 farão percurso
Centro, via Epitácio, realizando o mesmo percurso do 1500,sendo que em sentido
inverso. (Jornal “A União”, 8 de Janeiro de 1988).
Em 27 de Junho de 1988 a Câmara Municipal de João
Pessoa aprova os diretores da EMTC, anuncia a compra de 30 ônibus (ao invés dos
20) no prazo de trinta dias, com o propósito de atender vários bairros da
cidade, com exceção do Cristo Redentor e do Rangel que seriam atendidos em uma
segunda remessa com a compra de 40 ônibus. Estes ônibus seriam financiados pelo
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
A proposta da criação da EMTC não saiu do “papel”, quer
dizer em parte, porque os acontecimentos ocorridos em agosto de 1988 mudaram a
história do transporte coletivo de João Pessoa e porque não dizer,
transformaram o cotidiano dos moradores da capital paraibana.