Falta de planejamento e de investimentos em infraestrutura prejudica mobilidade urbana em Campina Grande

Fonte:
Comtranslegal
Fotos: Ruan Silva / Divulgação


Na manhã de sábado (8) de novembro, o CTMU – Comitê Técnico de Mobilidade
Urbana de Campina Grande e Região Metropolitana promoveu mais um passeio de
reconhecimento da operação do transporte público da cidade, com a participação
de representantes da sociedade civil, imprensa, Prefeitura e Câmara Municipal.
Desta vez, a atividade se deu na linha verde que tem um percurso de 79,5km. A
rota escolhida foi a 303/333 que corta a cidade de leste a oeste.

A
exemplo dos passeios anteriores o que se observou no percurso da rota 303/333
foi que o serviço de transporte público urbano enfrenta uma série de
dificuldades impostas pela falta de infraestrutura, como ruas estreitas e com
pavimentação precária ou inexistente, condições mínimas necessárias para uma
operação adequada e eficiente.
 
Os
membros do CTMU também puderam identificar a falta de abrigos para passageiros,
intervenções no leito das ruas que provocam o desvio da rota, gerando o aumento
da referida rota em 5k, prejudicando a frequência. Ao longo do passeio se viu
muitos estacionamentos irregulares em áreas que prejudicam o trânsito e a
velocidade operacional do ônibus.


No
bairro de José Pinheiro foram encontradas diversas irregularidades na ocupação
do espaço público. As calçadas e ruas foram invadidas por vendedores
“ambulantes” que impedem o acesso dos pedestres e dificultam a fluide

z do
transito. Um verdadeiro “mercado persa” tomou conta da Rua Campos Sales. As
lojas usam as calçadas expondo mercadorias ou com placas de publicidades.
Comerciantes informais também montam suas bancas de frutas e verduras em cima
das calçadas. Até uma feira de peixe acontece no meio da rua. O trânsito na Rua
Campos Sales é caótico e os estacionamentos funcionam sem fiscalização.

 
Para
o coordenador do CTMU, Anchieta Bernardino, a população reclama da qualidade do
transporte coletivo, mas não compreende que os problemas do setor são
consequências da logística urbana. Segundo ele, a cidade cresceu sem oferecer
estrutura aos cidadãos e o serviço de transporte público deve ser entendido a
partir desse contexto. “Anualmente, a cidade ganha novos bairros e conjuntos
habitacionais populares adensando áreas sem uma melhor estrutura urbana,
distante do núcleo central do município, onde está a maioria dos empregos e dos
serviços médico e de saúde, onerando o custo do transporte público, forçando o
trabalhador a se deslocar através de longas distâncias,”.


Entende
Anchieta Bernardino que, mais do que melhorar o serviço prestado, é preciso
democratizar os espaços da cidade, ampliando a mobilidade e descentralizando os
investimentos em infraestrutura, que atualmente se encontram presentes
majoritariamente nos espaços nobres e centrais de Campina Grande. “Precisamos
pensar numa cidade mais compacta, com conexões e adensada em torno do núcleo
urbano”, defendeu Anchieta acrescentando que esses problemas não são exclusivos
do nosso município. “Esse é um problema da maioria das médias e grandes cidades
do país”.

O
Coordenador do CTMU informou que todo o trajeto do passeio foi documentado por
fotos e imagens de vídeo e que esse farto material será analisado no próximo
encontro do Comitê no dia 24 deste mês no escritório regional do SEBRAE em
nossa cidade. Todas essas informações servem, também, para compor o Plano de
Mobilidade Urbana.

Todos
os participantes do passeio foram unânimes em reconhecer que as dificuldades do
transporte público coletivo estão relacionadas a falta de planejamento o que
leva a ausência de infraestrutura nas vias de acesso, além dos
congestionamentos que deixam o ônibus preso no trânsito. A implantação da faixa
seletiva foi entendida como solução urgente para contribuir na fluidez do
transporte coletivo no centro e nos principais corredores da cidade.

1 comentário em “Falta de planejamento e de investimentos em infraestrutura prejudica mobilidade urbana em Campina Grande”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.