História da Transnacional contada pelos seus carros: Os Torinos Volvo B58‏

Fonte:
Portal Ônibus Paraibanos
Matéria / Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team

Quem
tem mais de 20 anos vai se lembrar muito bem dessas verdadeiras lendas das ruas
de João Pessoa: os cinco Volvos da Transnacional pessoense, que marcaram até
hoje a história da linha 517-Castelo Branco, onde todos eles rodaram e
compuseram frota.

A época
era outra, em todos os sentidos
 
Assim
como na maioria das empresas do país, a Transnacional atualmente adota somente
uma marca de chassis e carrocerias, mantendo fidelidade a Marcopolo e a
Mercedes-Benz. Mas no início dos anos 1990 não era assim. A Transnacional
daqueles tempos era uma empresa repleta de Marcopolo em sua maioria, é verdade,
mas lá rodavam Busscar, Ciferal e a CAIO estava gradualmente saindo da frota da
empresa. Apesar de ter iniciado suas atividades na capital paraibana com toda a
frota composta por Mercedes-Benz (e o grupo não possuía concessionária na
época), a empresa resolve experimentar novos ares, começando a testar chassis
de outras marcas.
Em
uma dessas ocasiões, mais precisamente no ano de 1992, ela adquire 4 veículos com
carroceria Marcopolo Torino 1989 (ou LN, como queiram) e chassi Volvo B58, de
motorização central e automáticos. Com as numerações 07121, 07122, 07123 e
07124, os ônibus eram os primeiros da empresa a terem três portas, numa época
em que a porta do meio não tinha tanta utilidade como hoje.
Não
era só isso que chamava a atenção neles. Por dentro, algumas poltronas eram
invertidas e… Ninguém via o motor. Como o motor do chassi Volvo B58 era
central, ficava abaixo do piso entre-eixos. Não havia volume atrás ou na
frente. O que movia aqueles carros estava abaixo de seus pés.
 
Os
quatro ônibus foram escalados para rodar na linha 517-Castelo Branco/Epitácio,
que desde então passou a ser referência para teste de novos implementos da
empresa. A linha possui demanda média e só vai até a UFPB. Só para se ter uma
ideia do que o 517 foi pioneiro, foi porta de entrada desse chassi, do OF-1721,
dos letreiros eletrônicos laterais, e da entrada pela dianteira, só para citar
alguns exemplos.
Voltando
aos Volvos, mais tarde viria a se juntar a frota da TN o carro 07138, que
apesar de ter as mesmas configurações dos demais, possuía somente duas portas
como a maioria dos ônibus da época. A unidade havia sido adquirida usada, e
talvez isso se explique por aumento de frota na linha 517, que na época tinha 4
carros e passou a 5 (voltou a ser 4 este ano).
07123
Os
ônibus rodaram até 1998, quando foram todos substituídos por Torinos GV OF-1721
E2 da Mercedes-Benz, os quais eram os primeiros da empresa com esse chassi, conservando
suas numerações no 517.
 
Presente
das numerações
 
Os
carros 07121 e 07122 atualmente são Torinos 2007 encarroçados sob chassi
OF-1722M, fabricados em 2009, rodando respectivamente nas linhas 208 e 201.
Ambos devem ser desligados da frota na virada do ano, dando lugar a Torinos
2014 sob o chassi OF-1721 Bluetec5 recém-entregues.
O
carro 07123 é um Torino 2007 sob chassi OF-1722M, fabricado em 2010, rodando na
linha 302-Cidade Verde.
 
O
carro 07124 é um Torino 2014 sob chassi OF-1721 Bluetec5, fabricado em outubro
e entregue em novembro deste ano, rodando na linha 202-Geisel.
O
carro 07138, numeração do único Volvo de 2 portas, é um Viale OF-1722,
fabricado em 2008, rodando na linha 301-Mangabeira.

3 comentários em “História da Transnacional contada pelos seus carros: Os Torinos Volvo B58‏”

  1. A linha 517 – CASTELO BRANCO VIA EPITÁCIO foi 6 ônibus e não 5 na década de 90 até no ano de 2009 que foi reduzido para 5 ônibus

    Na época os carros que circulavam na 517 – CASTELO BRANCO VIA EPITÁCIO foram:
    7121 – 7122 – 7123 – 7124 – 7130 – 7131 –
    Os carros 7130, 7131 e 7132 eram os TORINOS LN de 3 portas, sendo que o 7132 ficou fixo na 511 – TAMBAÚ.

    Depois veio o carro 7138 ficando na vaga do 7130 que foi para a linha 304 – CASTELO BRANCO VIA PEDRO II
    Depois veio o TORINO GV 7179 que ficou na vaga do 7131 que foi para a linha 511- TAMBAÚ.
    Ficou assim.
    517 – CASTELO BRANCO VIA EPITÁCIO: 7121 – 7122 – 7123 – 7124 – 7138 – 7179 (6 ônibus)
    511 – TAMBAÚ: 7131 – 7132 (2 ônibus de 3 portas)
    304 – CASTELO BRANCO VIA PEDRO II: 7130 (1 ônibus de 3 portas)
    Quando a TRANSNACIONAL começou a operar a linha 115 – ANTÁRCTICA, naquela época era 4 carros, colocou os 3 ônibus de 3 portas para 115 – ANTÁRCTICA que ficou assim:

    754 – 7130 – 7131 – 7132
    Por fim, quando a linha 115 – ANTÁRCTICA foi para ser operada por TRANSURB, os ônibus de 3 portas 7130 – 7131 – 7132 foi fixado para a linha 201 – CEASA

    A linha 517 – CASTELO BRANCO VIA EPITÁCIO era 6 ônibus que circulava nos dias úteis até no ano de 2009 que foi reduzida para 5 ônibus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.