Transporte é refém de gangs

Fonte: Portal Correio
Foto: Rodrigo Gomes

O retrato do domínio dos bandidos nas comunidades das duas principais cidades
paraibanas (João Pessoa e Campina Grande) é o que está acontecendo com o
transporte público da Capital. De acordo com o Sindicato dos Motoristas da
Paraíba, no conjunto Colinas do Sul (Grotão), praticamente ninguém paga
passagem. É que os bandidos que controlam a região e os moradores protegidos
por eles, entram nos ônibus sem pagar a passagem e ainda obrigam os motoristas
a saírem da rota, para deixá-los na porta de casa. “Em uma viagem com o ônibus
lotado, quando chega ao terminal tem três ou quatro passagens pagas. E o
motorista tem que fazer tudo calado, porque se reclamar morre”, disse Antônio
de Pádua, presidente do sindicato.

Segundo
Pádua, essa situação acontece também nas comunidades no Alto do Mateus, Ilha do
Bispo, Renascer (Cabedelo), Bairro São José, Vale das Palmeiras (Cristo). “No
Vale das Palmeiras quem manda é os bandidos. E o povo que vê eles andando de
graça, lá e nos outros locais, vão na mesma onda e os motoristas não podem
fazer nada”, reclamou. O presidente do sindicato relatou outra situação de
desacato aos motoristas, que acontece no Bairro São José. “Lá os bandidos
fecham a rua pra beber e o motorista tem que parar e esperar a boa vontade
deles pra liberar a via. Se reclamar já sabe o que acontece. São bandidos,
chefes do tráfico no local”, relatou.
 
Além
desse problema, os ônibus são alvos de assaltos, principalmente nessas
comunidades. “Tem havido uma redução na quantidade de assalto, não por conta de
ação da polícia e sim porque tem diminuído a quantidade de dinheiro em
circulação, com o uso dos cartões de passagem. Mesmo assim, temos casos como um
motorista que roda no Colinas do Sul, que foi assaltado dez vezes em um mês”, disse.
Atualmente
a frota de ônibus de João Pessoa possui quase mil ônibus e faz cerca de cinco
mil viagens por dia, transportando sete milhões de passageiros por mês, de
acordo com o sindicato.

1 comentário em “Transporte é refém de gangs”

  1. Agora vc vê a que ponto nós chegamos no Brasil. Enquanto outros países não querem nem se lembrar da ditadura, parte dos brasileiros torce para voltar, aqui ta uma vergonha. Devemos protestar e lutar por um país mais seguro e melhor para nós e nossas futuras gerações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.