Paradas invisíveis, problema velho que ainda persiste

Fonte:
Blog Josivandro Avelar
Matéria / Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Rodrigo Gomes /  Acervo Paraíba Bus Team


Em 20 de outubro de 2012, o Blog Josivandro Avelar fez uma
matéria sobre a falta de sinalização de sete paradas no itinerário da linha
201-Ceasa. Até hoje as paradas continuam sem sinalização ou abrigo. Em outras
palavras, a Semob não fez nada na área, que recebeu em setembro outras duas
linhas de ônibus.

Na matéria, mostramos os locais onde sete paradas
de ônibus estão sem abrigo ou sinalização. Todas elas ficam no sentido
Centro-Bairro do itinerário da linha 201-Ceasa (5201-Colinas do Sul).
 
Bem, se o poder público não fez nada hoje, é porque
não fez nada ontem. E nem quando eu nem tinha nascido. Sim, o problema é mais
velho do que eu.
 
O amigo Kristofer Oliveira me enviou essa manchete
de um jornal da capital paraibana datada de 1979, ou seja, há 36 anos atrás.
Pois bem, o tema da matéria era, vejam só, justamente a falta das paradas no
itinerário da mesma linha Ceasa (na época não tinha o número 201). Ou seja, era
o mesmo lugar do qual estávamos falando.
 
Já que a Prefeitura não tinha feito nada, o dono da
empresa que na época operava o Ceasa (que segundo as pesquisas, era a empresa
Canaã), foi lá e colocou abrigos por conta própria. Vejam vocês mesmos:
Foram colocados à época seis abrigos por conta do
dono da empresa que operava as linhas à época, que nem sei se existem mais. Ou
seja, os passageiros do 201 ainda hoje continuam tendo que esperar o transporte
ao relento, no sol quente, na chuva…

Do jeito que tá, só falta esperar que a
Transnacional, operadora do 201-Ceasa desde 1988, ou a Santa Maria, operadora
do 2501/5201, banquem a instalação de sinalização ou de abrigos.
Já que a Prefeitura não faz a sua parte faz
décadas…
“A matéria foi escrita em 2012, porém pouco ou
quase nada mudou em relação às paradas. As da São Judas, por exemplo, continuam
sem identificação até hoje, 28 de janeiro de 2015.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.