Tarifa zero no Rio de Janeiro já transportou 200 mil passageiros em 28 dias

Fonte:
Juntos a Bordo
Fotos: Divulgação



O Prefeito de Maricá, Washington
Quaquá, apresentou na terça-feira passada, 20 de janeiro, um balanço do
primeiro mês de funcionamento da Empresa Pública de Transportes (EPT),
autarquia municipal cuja frota de dez ônibus gratuitos vem rodando desde o dia
18 de dezembro, 24h por dia, sete dias por semana, com tarifa zero.

As duas linhas percorrem toda extensão
da cidade – de Ponta Negra ao Recanto de Itaipuaçu. O resultado comprova,
segundo Quaquá, não só a aceitação do serviço, como o entendimento pela
população de que a tarifa zero tornou-se uma ferramenta de resgate da cidadania
através da mobilidade. “Em 28 dias de operação nós transportamos 201.571
passageiros”, comemorou o prefeito. Foram 1.543 viagens  e mais de 86 mil
km percorridos, em um modelo pioneiro para cidades com mais de 100 mil
habitantes e que já começa a chamar a atenção de outros municípios por sua
viabilidade.
 
“Maricá é o município brasileiro com o
maior número de habitantes a adotar a tarifa zero. Assim como educação e saúde
gratuitas, transporte público é um direito do cidadão, respaldado na
Constituição Federal”, avaliou o prefeito. “As empresas privadas se apropriaram
desse serviço, público em essência, e, em Maricá, monopolizaram e controlaram o
setor por mais de 40 anos, prejudicando o direito de ir e vir das pessoas”,
declarou Quaquá, lembrando que o custo de instalação da EPT é atraente também
por conta da economia gerada aos cofres públicos.

Mensalmente, em torno de R$ 400 mil em
vales-transportes deixarão de ser pagos pela Prefeitura às empresas de ônibus,
agora que os funcionários dispõem de transporte gratuito para ir e voltar do
trabalho. O valor economizado corresponde a pouco mais de 50% do custo total de
operação.
 
Outros benefícios são indiretos, mas
igualmente significativos e de longo prazo. “A adoção da tarifa zero propiciou
maior movimento ao comércio local. As lojas já começaram a fechar mais tarde
porque agora existe ônibus rodando em qualquer hora do dia ou da noite, o que
garante o retorno para casa”, acrescentou o prefeito, anunciando a meta para
2016 de ampliação da oferta, com a circulação de 16 ônibus somente na principal
linha (Recanto de Itaipuaçu – Ponta Negra), que atende a 70% da população.
A Prefeitura também planeja comprar 20
micro-ônibus elétricos, que não emitem CO2, para completar a frota como
alimentadores dos troncos principais, além de integrar o transporte alternativo
com vans ao sistema. “Com isso, atenderemos a todos os bairros e garantiremos
ainda mais a mobilidade da população”, completou, garantindo que não haverá
recuo. “É como Saúde e Educação, trata-se de um direito básico de todos”,
concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.