O transporte mudou em 2020. E nós acompanhamos

Por Ônibus Paraibanos
Imagens Paulo Rafael Viana

O ano de 2020 vai ficar marcado na história como o ano em que tudo mudou por causa de algo que não se vê, mas que deixa os seus reflexos nos sistemas de saúde. Na necessidade da proteção, muita coisa mudou, o mundo mudou, até parou. E se tem um meio que vai ficar marcado por essa pandemia, é o de transporte.

No ano em que o mundo parou por causa do coronavírus, nós não paramos. E não era para menos; por aqui você ficava sabendo que linhas paravam, que linhas iam voltar, em que horários iriam operar… Tudo era muito novo! E ainda tivemos a particularidade de estar em uma das duas capitais – a outra era Florianópolis – que parou por completo o sistema municipal de transporte coletivo.

107 dias sem operar, 107 dias sem faturar. E o impacto disso foi enorme, antes, durante e depois do decreto da Prefeitura de João Pessoa que anunciou a medida mais extrema da história do transporte coletivo de João Pessoa. Quebrou o recorde da Greve de 1988, quando após o maior daqueles protestos, o sistema ficou parado por completo por apenas um dia, e no fim surgiu a Setusa. Sim, você vai lembrar disso para sempre.

E quando voltou, tudo era diferente. Linhas que voltaram em outros itinerários, linhas que não voltaram mais, circulares de bairro extintas, um sistema completamente reinventado. E sabe a Setusa? Só as suas circulares sobreviveram, além das linhas 1519 e 5120. É, nunca trabalhamos tanto para fazer com que o público entendesse tudo aquilo que estava acontecendo, não sem antes tentarmos entender também.

E a cada dia, várias empresas paravam, operavam com o mínimo, voltavam, mudavam seus horários. Quantas vezes você não nos questionou, quantas vezes você não veio para cá saber a que horas o seu ônibus iria partir? Trabalhamos intensamente para garantir o seu direito a saber.

E nessa reinvenção, mudamos. Mudamos não apenas a nossa própria marca, mas nos reinventamos para acompanhar uma reinvenção que até hoje as pessoas sentem os seus reflexos.

Talvez melhor do que fazer uma retrospectiva, seja traduzir em um texto toda a intensidade que foi para nós acompanhar tudo isso. O que fizemos, e continuamos fazendo, é para você.

E esperando que em 2021 tudo realmente seja melhor, vamos continuar acompanhando a intensidade das mudanças. Porque o transporte acompanha a dinâmica da população. Ela não está parada. Ela precisa se movimentar, ela se muda, ela é inconstante.

Somos e precisamos ser intensos também, e é isso que nos move.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.