Empresa de ônibus é impedida de embarcar e desembarcar passageiros em Paraty apesar de ter autorização da ANTT

Por Assessoria de imprensa
Imagens Rodrigo Gomes
/ JC Barboza

Turistas e moradores, inclusive pessoas em tratamento contra o câncer, são obrigados pela Prefeitura a acessarem os veículos na estrada, a seis quilômetros do Centro

Preços até 60 % mais baixos que o da concorrência, veículos novos e rotas que conectam algumas das principais cidades da Região Sudeste. Apesar desses benefícios e de ter autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para fazer a ligação rodoviária entre municípios de São Paulo e diversos destinos da Costa Verde fluminense, a Primar Turismo está proibida pela Prefeitura de Paraty de realizar o embarque e o desembarque dos seus passageiros no Terminal Rodoviário da cidade histórica, localizada no Sul do Estado do Rio de Janeiro. Diante desta decisão da Prefeitura, os ônibus da empresa são obrigados a parar no trevo localizado na entrada da cidade, a seis quilômetros do Centro, causando transtorno e desconforto aos moradores e turistas que utilizam a linha.

Já entramos em contato diversas vezes com as autoridades locais, mas não nos apresentam justificativas para essa ação arbitrária que prejudica a todos. Estamos buscando a Justiça para encontrarmos uma solução. Não queremos parar de servir os moradores e turistas com um serviço de qualidade a preços justos – afirma Marcelo Nunes, presidente da empresa.

Com a autorização federal para realizar o serviço de transporte interestadual, a Primar Turismo recebeu em fevereiro de 2020 aval da Prefeitura de Paraty para realizar embarque e desembarque de passageiros no Terminal Rodoviário. Cerca de um ano e meio depois, no entanto, sem qualquer explicação, a medida foi revogada pela Secretaria Municipal de Transportes e o acesso aos ônibus pelos passageiros passou a ser feito na entrada da cidade. Para amenizar o transtorno causado aos usuários, a Primar oferece carros de aplicativos para levá-los do Centro até o ponto de embarque e vice-versa. Inclusive pacientes que fazem tratamento contra o câncer no Hospital de Amor, em Barretos, que são transportados gratuitamente pela empresa. Edson Torres, de 48 anos, é cadeirante e, mesmo assim, está proibido de embarcar nos ônibus da Primar na rodoviária. Morador de Paraty, ele viaja gratuitamente para São Paulo onde conclui um curso de técnico em manutenção.

“Os ônibus da Primar são novos e o serviço, extremamente atencioso. Essa proibição do uso do terminal é um absurdo. O prefeito foi eleito para ajudar a população, não para dificultar a vida dos cidadãos. Mas infelizmente, quem precisa usar esse transporte está sofrendo. Vou continuar optando pela Primar e espero que essa situação se resolva logo” – afirma Edson Torres.

A Primar Turismo opera em três estados (MG, SP e RJ) e atende 49 cidades, entre elas as vizinhas Angra dos Reis e Mangaratiba, mas apenas em Paraty enfrenta esse tipo de situação. Com preços até 60% mais baixos que os da concorrência, as passagens oferecidas pela empresa são muito procuradas por moradores e turistas de Paraty, que durante décadas contaram com os serviços de apenas uma viação. Em menos de um ano, foram transportados mais de sete mil passageiros, que tiveram como destino ou origem a cidade histórica da Costa Verde.

1 comentário em “Empresa de ônibus é impedida de embarcar e desembarcar passageiros em Paraty apesar de ter autorização da ANTT”

  1. àcima, está a fala, … “Paraty, que durante décadas contaram com os serviços de apenas uma viação.” – ENTÃO, deveria mencionar todas as devidas Autorizações da ANTT, no percurso da Rota, mencionada – nas constantes falas sobre a necessidade da Concorrência, algo INEXISTENTE nesse setor da Economia do Serviço, NÃO permite dubiedade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.