Marcopolo expõe modelo elétrico na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Em fase de testes, modelo Attivi é o primeiro ônibus elétrico com chassi próprio da companhia e deve chegar ao mercado no quarto trimestre de 2022

A Marcopolo, líder na fabricação de carrocerias de ônibus no Brasil e posicionada entre as maiores do mundo, apresentará o Attivi, primeiro ônibus elétrico com chassi desenvolvido pela companhia, na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). O objetivo é destacar os diferenciais do projeto nacional de ônibus elétrico, focado em um sistema de mobilidade mais sustentável e eficiente. Em fase de testes, o modelo deve chegar ao mercado no quarto trimestre de 2022.

Promovido no Pavilhão de Exposições – Parque da Cidade, em Brasília (DF), até 10 de dezembro, o evento aborda o tema “A Transversalidade da Ciência, Tecnologia e Inovações para o Planeta”, com foco na superação dos desafios globais, por meio de avanços científicos e tecnológicos.

Desenvolvido com tecnologia nacional e importada, o Attivi é projetado para atender às diferentes possibilidades do setor de transportes nos mercados brasileiro e internacional, reforçando o investimento da companhia no segmento de elétricos, com foco em modais cada vez mais sustentáveis. “A adoção de veículos com tecnologia limpa é uma tendência mundial e o Marcopolo Attivi insere a companhia nesse cenário global, é um modelo que foi desenvolvido para atender todos os mercados que atuamos. Há alguns anos, estamos envolvidos em diferentes projetos de veículos movidos a combustíveis de fontes renováveis”, explica James Bellini, CEO da Marcopolo.

A versão que circula no ABC Paulista desde outubro em caráter experimental, por exemplo, tem 13,25 metros de comprimento, capacidade total para 89 passageiros (sentados e em pé), autonomia de cerca de 250 quilômetros e pode ser recarregado em até quatro horas. A proposta é que o veículo seja adaptado às necessidades do transporte urbano e intermunicipal.

“Para a Marcopolo, há um ambiente propício no mercado brasileiro para o desenvolvimento do transporte com propulsão elétrica, com provedores de energia dispostos a investir no sistema. Além do benefício ambiental, a mobilidade elétrica tem custo operacional inferior se comparado ao diesel e a adoção tende a ser decisiva para um futuro sustentável”, explica João Paulo Ledur, diretor de Estratégia e Transformação Digital.

A Marcopolo, em conjunto com parceiros, conta com diversas frentes relacionadas à mobilidade elétrica, como o lançamento do primeiro veículo leve sobre pneus (VLP) 100% elétrico do Brasil em São José dos Campos (SP) e o primeiro ônibus rodoviário movido a eletricidade da região sul. A Marcopolo já entregou modelos elétricos para diversas cidades, como Bauru, Campinas e São Paulo, em São Paulo, Belém (PA), Brasília (DF), Vitória (ES), Fortaleza (CE), Maringá (PR) e Volta Redonda (RJ). Atualmente, são 370 veículos elétricos e híbridos em circulação em diversos países, incluindo Argentina, Austrália e Índia. No Brasil, são 75 veículos.

Sobre a Marcopolo

Fundada há 72 anos em Caxias do Sul (RS), a Marcopolo S.A é líder na fabricação de carrocerias de ônibus no Brasil e posiciona-se entre as maiores fabricantes do mundo. A companhia investe de forma contínua em aprimoramento, tecnologia, design e expansão, produzindo soluções que contribuem para o desenvolvimento do transporte coletivo de passageiros e o futuro da mobilidade. Com fábricas nos cinco continentes, os veículos produzidos pela empresa rodam nas estradas de mais de cem países.

Sobre a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT foi instituída pelo Decreto Presidencial de 9 de junho de 2004 e é realizada anualmente durante o mês de outubro, sob coordenação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações – MCTI.

O evento conta com a colaboração e participação das Secretarias Estaduais e Municipais de Educação, Secretarias de Ciência e Tecnologia, agências de fomento, espaços científico-culturais, instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas, escolas, órgãos governamentais, empresas de base tecnológica e entidades da sociedade civil. Participação na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Imagem: Divulgação Marcopolo
Fonte: Secco Consultoria de Comunicação

, ,
0compartilhamentos

Inscreva-se na nossa newsletter