Agência de regulação estadual quer saber opinião do usuário de ônibus da Andorinha

Os ônibus da empresa terão o anúncio sobre a pesquisa e com o celular vai ser possível o passageiro acessar o QR Code e ir direto para o formulário. O levantamento vai acontecer durante dois meses e …

A Agems (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) iniciou nesse mês de janeiro uma pesquisa para avaliar o grau de satisfação ou não dos usuários da empresa Andorinha que opera a linha 059, o trecho rodoviário de transporte de passageiros entre Corumbá-Campo Grande. É a única empresa que explora a concessão há décadas. A agência também procura obter informações com usuários de ônibus das empresas Viatur e da Cruzeiro do Sul.

A pesquisa acontece em parceria com o Observatório do Turismo (Observatur/Fundtur-MS). Os ônibus das empresas terão o anúncio sobre a pesquisa e com o celular vai ser possível acessar o QR Code e ir direto para o formulário.

O levantamento vai acontecer durante dois meses, até 15 de março. Além da identificação de perfil, a pesquisa pretende obter a percepção desses passageiros em relação ao serviço prestado pelos transportadores rodoviários turísticos.

“A opinião das pessoas que viajam é muito importante para a gestão pública e privada na tomada de decisões. Já tivemos um primeiro levantamento feito em parceria com a Fundtur, aberto ao público em geral. Agora estamos direcionando para quem de fato está a bordo e poderá fazer essa avaliação logo após utilizar o serviço”, explica o diretor de Transportes da Agems, Matias Gonsales Soares.

Responsável pela regulação e fiscalização do serviço público de transporte intermunicipal, a Agência está trabalhando com o Escritório de Projetos Estratégicos e a Secretaria de Infraestrutura na renovação e modernização do sistema.

O serviço público abrange as linhas, mas os gargalos e demandas do transporte turístico também serão considerados. “Estamos construindo um Plano Diretor para melhorar o serviço como um todo, fortalecer as linhas, coibir os clandestinos, garantir o melhor transporte para os sul-mato-grossenses e pessoas do Brasil e do exterior que veem aproveitar os atrativos nos mais diferentes municípios do estado”, reforça o diretor-presidente da Agems, Carlos Alberto de Assis.

Empresas

A pesquisa estará disponível para passageiros de diversas linhas das três empresas nesse primeiro momento. “Consideramos excelente a participação do usuário frequente do serviço na pesquisa, nossa expectativa é que eles possam contribuir com suas sugestões para o aprimoramento do Plano Diretor”, avalia o gerente operacional da Andorinha, João Batista Hernandes Teixeira.

Ele conta que a transportadora já realiza esse tipo de levantamento de forma interna, para avaliação da viagem e sugestão de melhoria, e que o sistema vai ser utilizado no projeto da Fundtur e Agems.

“Nossos motoristas foram orientados a informar aos passageiros sobre a importância de contribuir com a pesquisa. Ao mesmo tempo, nosso SAC enviará para alguns clientes, via WhatsApp, o link de acesso ao formulário. Acreditamos que haverá um bom volume de participantes, o que vai ajudar o levantamento a ser mais fiel a realidade do mercado”.

Toda a equipe da empresa Viatur também informou que está preparada para a pesquisa, conforme relata o diretor Luis Fernando Otero. “Envolvemos nossos motoristas, fiscais que atendem ao longo da linha, agentes de venda, para que já na compra o cliente saiba da pesquisa e possa ter uma maior adesão”, diz. “Acho que a iniciativa é importante, porque o transporte tem evoluído nos últimos anos, mas ainda não no ritmo que o mundo está evoluindo. Então, precisamos entender do usuário qual a expectava, quais são os pontos que enxerga como negativos para melhoria”.

Passageiros da Cruzeiro do Sul também serão consultados. Para o diretor Cesar Possari, a expectativa é positiva. “Toda pesquisa é oportunidade de melhoria, e a nossa empresa adotará o levantamento em todas as linhas, quando o usuário poderá, após algumas horas, responder o questionamento para que possamos melhorar nossos serviços”, confirma. “Avaliamos positivamente essa iniciativa e esperamos que esses dados técnicos sirvam para tomada de decisões”.

Reclamações

Em meio aos anúncios nas mídias sociais da empresa Andorinha, há inúmeras reclamações, desde o preço da passagem que por anos recebeu o simbólico título de “A MAIS CARA DO PAÍS”, tratando-se pelo quilômetro rodado, 420 km no referido trecho, ou pelas promoções relâmpagos, dos preços promocionais e em horários menos utilizado, sendo na maioria válidos à partir de Campo Grande para Corumbá, e não com saída de Corumbá para a Capital do Estado. Agora os usuários tem à disposição esse canal direto com a Agems (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos), vale-se do seu direito de consumidor e avalie o serviço que você paga.

Fonte: Correio de Corumbá

,
0compartilhamentos

Inscreva-se na nossa newsletter