Curitiba avalia novas tecnologias em eletromobilidade

As alternativas de transporte limpo e mobilidade ativa estão alinhadas com os objetivos do PlanClima, aprovado pelo prefeito Rafael Greca para a atual gestão, com o objetivo de reduzir os efeitos dos …

Ônibus elétricos vão circular pelas ruas da capital para oferecer uma nova experiência aos usuários, validar configurações e o desempenho no transporte coletivo

Curitiba se prepara para dar um salto de qualidade na mobilidade ativa e limpa com a entrada de veículos elétricos de última geração na operação do transporte coletivo. A partir da segunda quinzena de setembro, a cidade inicia novas demonstrações de ônibus elétricos para avaliar configurações de veículos, bem seu desempenho nos itinerários, além de permitir o treinamento de motoristas na nova tecnologia.

A estratégia pela redução das emissões de CO2 se fortalece com um novo serviço de bicicletas compartilhadas na cidade, com foco na promoção da intermodalidade nos deslocamentos. As alternativas de transporte limpo e mobilidade ativa estão alinhadas com os objetivos do PlanClima, aprovado pelo prefeito Rafael Greca para a atual gestão, com o objetivo de reduzir os efeitos dos riscos climáticos na cidade.

Entre os dias 19 e 26/9, com a circulação do ônibus em cinco linhas – Campo Comprido/CIC, Jardim Ludovica, Detran/Vicente Machado, Campina do Siqueira/Batel e Campo Alegre – os usuários também poderão conhecer as vantagens da eletromobilidade. A demonstração foi viabilizada como um marco para a chegada dos veículos para testes, nos termos do chamamento público feito pela Prefeitura. Todo o processo conta com o apoio de parcerias com diferentes atores do segmento, como o Projeto TUMI E-Bus Mission, que reúne entidades de fomento à eletromobilidade no mundo – WRI, 40Cities e GIZ.

Nesta fase, também estão envolvidas a empresa Enel X, linha de negócios do Grupo Enel dedicada a soluções em energia, que será responsável pelos estudos de viabilidade técnica e econômica do projeto de mobilidade na cidade, além da infraestrutura de recarga dos ônibus, e a fabricante chinesa Higer, operada no Brasil pela TEVX Motors, que trará o primeiro veículo dessa fase de demonstração. Outros fabricantes também se preparam para trazer seus veículos à capital.

“Essa rodada de testes é a consolidação da construção de política pública de estímulo à uma nova matriz energética para o transporte coletivo. Temos um compromisso com o futuro da cidade, alinhado aos desafios do combate aos riscos climáticos. É a construção da mobilidade limpa para Curitiba e seus cidadãos”, observa Luiz Fernando Jamur, presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuc), responsável pela articulação com os parceiros para a realização dos testes, juntamente com a Urbs.

A Enel X já colaborou para a transição energética da frota de importantes capitais da América Latina, como Santiago (Chile) e Bogotá (Colômbia). Agora a empresa participa do processo em cidades inteligentes brasileiras, como Curitiba. “Eletrificar a frota de ônibus é um passo fundamental no caminho para cidades mais inteligentes e sustentáveis. A Enel X vai empregar toda sua expertise como líder em mobilidade, trazendo mais benefícios para a sociedade”, diz Francisco Scroffa, executivo responsável pela Enel X Brasil.

Vantagens

A eletromobilidade no transporte coletivo reduz a emissão de poluentes gerados pelo uso de combustíveis fosseis e ruído urbano, com impacto direto na saúde e na qualidade de vida do cidadão. No dia a dia, o usuário também é beneficiado pelo conforto dos veículos, equipados com ar condicionado, mais espaço entre as poltronas e com avançados sistemas de segurança. O ônibus da Higer tem autonomia para rodar 270 quilômetros, capacidade para 89 passageiros – na configuração feita para Curitiba – e recarrega em até três horas.

“Além de imprescindível para o enfrentamento das cidades às mudanças climáticas, a transição para ônibus elétricos representa um salto de qualidade para o setor”, afirma Cristina Albuquerque, gerente de Mobilidade Urbana do WRI Brasil. “O TUMI E-Bus Mission quer acelerar a eletrificação do transporte coletivo em centenas de cidades do mundo, e Curitiba é uma das 20 cidades que recebem apoio aprofundado para liderar esse processo. Apresentar a tecnologia à população é um marco importante”, conclui.

Para a exibição em Curitiba, a viação Redentor será a operadora do veículo Higer. Para isso, destacou os melhores motoristas da rede para o treinamento com o carro, que será abastecido pelo carregador da Enel X, instalado no pátio da Redentor. Toda a preparação do veículo para operar no sistema, incluindo a bilhetagem eletrônica do carro, foi viabilizada pela Urbs, que também selecionou as linhas de teste da operação com eletromobilidade. “Estamos atentos às necessidades da evolução das tecnologias do transporte coletivo de Curitiba, que mantém sua vocação de inovação e referência no segmento para o Brasil e o mundo”, avalia Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs.

Parceiros

Maior player de mobilidade elétrica da América Latina, a Enel X é responsável por tecnologias instaladas em quatro países da região e cerca de metade dos ônibus elétricos na Colômbia, Peru e Chile. No Brasil, a Enel X quer trazer uma experiência integrada, tendo como principais entregas os ônibus elétricos e infraestrutura de recarga, em parceria com grandes montadoras.

Além de Curitiba, a Enel X realizou nos últimos meses iniciativas de avaliação técnica e parcerias em Madureira, no Rio de Janeiro, e em Goiás.

A chinesa Higer Bus é líder mundial na fabricação de ônibus elétricos, que tem sua operação no mercado brasileiro sob responsabilidade do TEVX Motors Group – especializado na oferta de soluções de transporte limpo, criado para importar os ônibus e prestar serviços de pós-venda e de peças de reposição. Com uma receita anual de US$ 5,5 bilhões e capacidade para produzir anualmente 35 mil ônibus, a Higer Bus exporta cerca de 30% da sua produção para mais de 100 países. O primeiro produto a ser oferecido ao mercado brasileiro é o Azure A12BR, que poderá circular em grandes cidades brasileiras ainda em 2022.

Fonte: Higer

,
0compartilhamentos

Inscreva-se na nossa newsletter