Atendimento do transporte público em Campos é normalizado após incêndio de ônibus da São Salvador

Onze dos 25 ônibus da Auto Viação Turisguá requisitados pela Prefeitura já estão em circulação no município, garantindo o direito de ir e vir do cidadão
Image

Desde as primeiras horas desta segunda-feira (11), 11 dos 25 ônibus da Auto Viação Turisguá estão em circulação para atender as linhas que seriam impactadas em função do incêndio de grandes proporções na garagem da São Salvador, na madrugada de sábado (09). Passageiros que utilizam as linhas atendidas pela São Salvador e seus funcionários estão satisfeitos com o empenho da Prefeitura de Campos em decretar a requisição administrativa para a utilização emergencial de ônibus da Turisguá na substituição dos veículos queimados no cumprimento de itinerários e horários para o atendimento à população.

As linhas Penha-Centro e Uenf-Jockey estão funcionando normalmente. As demais vão retornar gradativamente, na medida em que os coletivos receberem manutenção.

Há dois anos trabalhando na São Salvador, o despachante da área central Fabiano Gonçalves sentiu o medo de ficar desempregado. “No primeiro momento, quando vimos todo aquele fogo e o número de ônibus destruídos, doeu muito, pois só nós sabemos o amor que temos pelo nosso trabalho. Mas foi um alívio quando soubemos que o prefeito Wladimir Garotinho entrou em contato com os donos da empresa e se colocou à disposição para criar meios para que, não só a população ficasse sem transporte, mas nós, enquanto funcionários, pudéssemos ter a garantia do nosso trabalho”.

O despachante explica que os ônibus que fazem as linhas para o interior estão funcionando normalmente, já que eles não ficam na garagem onde aconteceu o incêndio. “A atitude do prefeito e de toda a equipe de viabilizar um meio para rapidamente fazer a renovação da frota, nos surpreendeu. Estamos realizando uma força-tarefa para fazer a manutenção dos coletivos a fim de colocá-los na rua. A Prefeitura e o IMTT foram impecáveis em buscar uma solução de forma tão imediata. Se não fosse por isso, hoje poderia estar sem trabalho”.

O sentimento do fiscal geral de rua Valdecir Viana, que trabalha na empresa há 4 anos, é o mesmo do seu colega Fabiano. “Confesso que primeiro veio a preocupação de ter tido alguma vítima e depois, é claro, o nosso emprego. A gente que tem família e filhos para criar, fica preocupado. Os nossos patrões sempre cumpriram a obrigação deles, mas perder o patrimônio assim é complicado para qualquer empresa. Tinha muitos colegas preocupados, famílias desesperadas, mas quando veio a notícia que a Prefeitura resolveu de forma tão rápida, de fato nos surpreendeu. Deus entrou com providência e iluminou a cabeça do nosso prefeito Wladimir e toda sua equipe para resolver a questão de forma tão emergencial”.

Usuária da linha Penha-Centro, Marilda Castro disse que estava com receio de não ter ônibus para se locomover. “Fui para o ponto de ônibus sem saber se haveria o coletivo, mas graças a Deus a nossa linha está resolvida. Acredito que as demais vão estar na rua em breve”.

A Requisição Administrativa decretada pelo prefeito é uma ferramenta do Direito Administrativo que autoriza o poder público a requisitar bens e serviços particulares em uma situação emergencial, como a configurada no transporte público de Campos, após o incêndio que destruiu a frota da São Salvador.

Fonte: Prefeitura Municipal de Campos
Foto: Vadinho Ferreira / Divulgação

, ,

Receba os posts do site em seu e-mail!

Quando uma matéria for publicada, você fica sabendo na hora.