Usuários sofrem com calor nos ônibus em João Pessoa

Fonte: Jornal da Paraíba
Matéria/Texto: Nathielle Ferreira
Foto: Diego Almeida Araújo

Com a temperatura média
variando entre 25 e 30 graus Celsius, segundo informações da Agência Executiva
de Gestão das Água (Aesa), o calor está castigando a população de João Pessoa.
Por estar localizada próximo à linha imaginária do Equador, a capital também
está recebendo incidência maior de raios ultravioletas e os ventos que circulam
na cidade estão sendo considerados fracos ou moderados, pela Aesa. As
condições climáticas, que já afetam a saúde das pessoas que caminham na rua,
causam transtornos ainda maiores em quem permanece, por muito tempo, em
ambientes apertados, como os ônibus. Em João Pessoa, o calor elevado dentro dos
transportes coletivos já é motivo de reclamação entre passageiros.

“Quando
o ônibus está cheio, é um aperreio maior do mundo, principalmente para mim, que
ando com criança. Tenho um filho de um ano e fico muito preocupada com ele
quando subo em um ônibus lotado. Fico toda hora abanando meu filho para que ele
não sofrer muito com o calor”, diz a dona de casa Iliana Patrícia da Conceição
de Araújo.
Seis
empresas de ônibus operam em João Pessoa. Juntas, elas disponibilizam uma frota
composta por 517 ônibus, sendo que 457 são colocados em circulação e os demais
permanecem nas garagem, como reserva técnica. Ao todo, as firmas empregam 3.100
profissionais, sendo a grande maioria de motoristas e cobradores, que viajam
nos coletivos, junto com os passageiros.
Doença

Além da sensação de mal-estar, a união de calor e local apertado também
contribui para a transmissão de doenças, como alerta o pneumologista e membro
da Sociedade de Pneumologia e Tisiologia da Paraíba, Sebastião Costa de
Oliveira. Ele explica que o ônibus é o ambiente ideal para o contágio da
tuberculose.
“O
bacilo passa de uma pessoa para outra através das vias respiratórias, como
contato com saliva, por meio da tosse ou fala. Essa doença é muito comum em
comunidades de baixa rendas, justamente as que mais utilizam os ônibus”,
observa.
Para
diminuir a possibilidade de ocorrer o contágio, o especialista recomenda que a
população melhore a própria resistência imunológica. Para isso, deve fazer uso
de uma alimentação saudável. “O bacilo da tuberculose se desenvolve com maior
facilidade em organismos mais debilitados. Por isso, as pessoas devem se
alimentar muito de frutas, legumes e produtos que mantenham os níveis de
nutrientes elevados no corpo”, disse.

Empresas não possuem projetos

A Associação das
Empresas de Transportes Coletivos de João Pessoa (AETC-JP), através da assessoria,
reafirmou o projeto de implantação dos BRTs, explicado pelo superintendente da
Semob.
Entretanto,
a curto prazo, não há projetos para melhoria de climatização dos ônibus da
cidade. Ainda de acordo com a assessoria, as empresas de ônibus dependem dos
órgãos públicos para dar andamento às obras, logo não têm qualquer previsão de
quando o reordenamento dos transportes será realizado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.