A presença da CAIO em João Pessoa‏

Fonte:
Portal Ônbus Paraibanos
Matéria / Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team




Fundada em São Paulo em 1946 e gerenciada pelo Grupo Ruas desde 2001, a CAIO já
teve uma presença maciça nas empresas da capital paraibana. Com a mudança de
gestão da encarroçadora paulista e a presença expressiva da concorrente
Marcopolo, a CAIO perdeu um espaço considerável nas frotas das empresas
paraibanas por vários motivos, desde empresas que fecharam completamente com a
Marcopolo, até aquelas que resolveram optar por outras encarroçadoras.
Praticamente todas as atuais operadoras do sistema, bem como a maioria das já
extintas, já tiveram ônibus da encarroçadora paulista em suas frotas. Veja
agora onde a CAIO marcou e marca presença nelas.

Das empresas extintas
 
Auto Viação Dutra: o registro mais antigo que temos
até aqui

Os
carros que você vê abaixo eram de uma empresa que existiu nos anos 1960 e 1970
em João Pessoa. Sim, a Auto Viação Dutra, uma das primeiras empresas
organizadas do transporte coletivo de João Pessoa, já teve CAIO em sua frota. E
do modelo Jardineira.

 

Etur: a maior frotista
 
A
Etur, maior empresa de João Pessoa nos anos 1980 e que deu origem a outras 6
empresas da capital (4 de forma direta e 2 a partir da extinção de duas delas*)
foi uma das maiores frotistas CAIO da capital paraibana. Teve modelos como o
Bela Vista, o Gabriela, o Amélia e o Vitória – algumas unidades até de motor
traseiro que foram herdadas pela Boa Viagem.

Com
poucos Marcopolos e Monoblocos, fez compras expressivas na encarroçadora
paulista. Parte delas foi herdada pelas empresas que surgiram a partir da Etur.

*A Etur deu origem a 4 empresas: Boa Vista e
Transurb (em 1990) e Reunidas e Boa Viagem (em 1994). As empresas fruto da
primeira cisão deram origem a São Jorge, que surge a partir da compra da
Transurb em 1997, e cuja expansão se dá pela compra da Boa Vista em 2002. A Boa
Viagem torna-se Santa Maria em 2010, após a aquisição da empresa pelo Grupo
A.Cândido.



Setusa:
uma unidade, na dificuldade
A
Setusa só teve uma única unidade, o carro 05018, que veio a ser o primeiro
Vitória da Reunidas. Veio parar na empresa como parte do “balão de
oxigênio” em que a empresa recebeu ônibus de outras operadoras do sistema.

RB
Transportes: Registro raro
Durante
sua breve existência no sistema pessoense, a RB Transportes possuiu algumas
unidades da CAIO em sua frota. Aqui podemos ver o Bela Vista e o Gabriela.
Canaã e São Judas Tadeu: os CAIO de uma foram da
outra
 
Uma
das empresas cujo espólio foi assumido pela Transnacional – antes fora comprada
pela São Judas Tadeu, que posteriormente, a TN viria a adquirí-la – a Canaã já
teve unidades do CAIO Gabriela. Algumas dessas unidades foram aproveitadas pela
TN junto com a SJT.

Essas
unidades haviam sido as primeiras e últimas da São Judas Tadeu – que durante
sua existência nunca havia comprado CAIO.
 
Nossa Senhora das Neves: poucos Gabrielas

Resultado
do espólio do fim da RB Transportes, a Nossa Senhora das Neves foi a primeira empresa pessoense a ser
adquirida pela Transnacional para que esta operasse em João Pessoa. Com poucas
unidades da CAIO compradas, essas poucas eram do modelo Gabriela.

Transurb: os marcantes foram os Scanias
 
Resultado
da primeira cisão da Etur, a Transurb surge no início dos anos 1990. De sua
garagem, em 1992, foi fundada a AETC-JP.

Ela
iniciou sua carreira adquirindo uma considerável quantidade de Gabrielas, Vitórias e
Amélias – alguns deles herança da Etur. Mas nada que fosse comparado aos
Vitórias de 3 portas sob o chassi Scania K113CL.



Boa Vista: Vitórias e 2 Alphas
 
A
Boa Vista foi a segunda filha da primeira cisão da Etur – a primeira havia sido
a Transurb, que posteriormente seria a empresa que a compraria em 2002: a São
Jorge.

Ela
teve CAIO do início até praticamente seu final. Não teve heranças da Etur e
adquiriu seus primeiros carros de várias empresas de outros estados. As
primeiras unidades do CAIO Vitória vieram de onde menos poderia se esperar: do
interior de São Paulo. A título de exemplo, o carro 03391 cuja imagem você vê
no post é ex-Viação Leme, de Jundiaí.
 
Posteriormente
adquiriu outras unidades do Ceará. Os últimos CAIO da Boa Vista foram dois
Alphas usados da Vitória de Caucaia, 03387 e 03397, ambos OF-1620 da
Mercedes-Benz.
 
Boa Viagem: Da herança ao pioneirismo
 
A
Boa Viagem herdou parte dos Vitórias de motor traseiro da Etur, de quem é a
sucessora direta, pois foi a última das 4 empresas criadas a partir dela, bem
como herdou a garagem.

 

Mas
não parou por aí: adquiriu várias unidades de Vitórias sob o chassi Scania
F113HL. Sob o mesmo chassi, adquiriu os dois primeiros Alphas do sistema
pessoense.


As
últimas unidades da CAIO adquiridas pela Boa Viagem foram dois microônibus do
tipo Piccolo, sob o chassi LO-814, os quais eram ex-Guarulhos. Foram empregados
para as linhas do Conde e Jacumã.
Das empresas que operam até hoje
 
Transnacional: Começou com CAIO
 
Hoje
frotista exclusiva da Marcopolo, a Transnacional deu seus primeiros passos com
a CAIO. Teve várias unidades do modelo Amélia e Gabriela, ora herdadas das
empresas de comprou, ora usadas do Rio – sim, a empresa já usava desse
expediente de comprar usados no Rio nos seus primeiros anos de existência.

O
último CAIO foi baixado da empresa em meados de 1994. Já teve unidades da
Busscar, Ciferal (quando esta era independente) e até Incasel (eram 4 unidades
herdadas da N.S.das Neves). Desde 2009, a frota é completamente composta pelos
modelos da Marcopolo – considerando a baixa dos últimos veículos da empresa que
não eram da encarroçadora gaúcha, que eram unidades de Urbanuss Pluss.
 
Reunidas: 6 unidades em épocas distintas
 
A
empresa já teve CAIO em sua frota em várias ocasiões: de início, teve Vitória –
um deles foi o 0822, herança da Etur que fora ex-Rio e que posteriormente seria
o 05018 da Setusa, repassado à empresa estatal como parte do “plano de
salvação” da empresa em 1995 – e até mesmo um Apache Vip II – o carro
0839, em 2010, que já naquela época possuía entrada pela porta dianteira.

O
carro 0839 foi desativado da empresa pessoense em 2011, quando foi remanejado
para Natal onde ocupa o prefixo 0833. Se junta a dois Apache Vip I trucados que
a empresa já possui na filial natalense.
 
A
unidade intermunicipal de Cabedelo já teve quatro unidades do Foz Super, em
2011.

Desde
a saída desses quatro micrões, a frota da Reunidas é exclusivamente Marcopolo.
 
Mandacaruense: de frotista fiel a saída completa
 
A
empresa já teve sua frota composta quase que por 100% de ônibus da CAIO: já
teve praticamente todos os modelos urbanos da encarroçadora: Bela Vista,
Gabriela, Amélia, Vitória, Alpha, Apache S21, Apache Vip I. Parou por aí.

As
últimas 3 unidades da Mandacaruense foram adquiridas entre 2002 e 2003: eram os
carros 0405, 0415 e 0438, que foram os primeiros Apache Vip I de João Pessoa.
Depois disso em diante, ela adquiriu seu primeiro Neobus – um microônibus de
numeração 04201 – e nunca mais parou de adquirir ônibus da encarroçadora
gaúcha, em paralelo com Marcopolo. Assim, nunca mais adquiriu nenhuma unidade
da CAIO, nem mesmo usada.

O
carro 0441, adquirido em 2001, foi o último veículo da encarroçadora paulista a
sair da frota da Mandacaruense. Desde então, ela não possui nenhuma unidade da
CAIO em sua frota – a não ser o seu carro-guincho. A frota da empresa
atualmente é composta por modelos da Neobus, Marcopolo, Comil e uma única
unidade da Busscar.
 
Marcos da Silva: 6 unidades em operação
 
A
Marcos da Silva também foi outra empresa pessoense que teve seu início com
frota praticamente 100% CAIO. A mesma lista acima na Mandacaruense se repetiu
na empresa: Bela Vista, Gabriela, Amélia, Vitória, Alpha. Havia parado por aí.

O
último CAIO zero da empresa havia sido adquirido em 1997. Desde então, só
apareceram unidades usadas, como 3 Alphas ex-Vitória de Caucaia. De zero
quilômetro mesmo, só Marcopolo, Comil e Busscar, encarroçadora a qual a MDS se
interessou a partir da compra de outro carro usado, o 0923 – depois dele,
gostou e pediu lotes expressivos de Busscar zero: em 1999 de Urbanuss, e em
2001 e 2007, de Urbanuss Pluss.

Quando
não fez muito tempo que a CAIO saiu de vez da Marcos da Silva, eis que ela
voltou em forma de carro usado: em 2009, foi adquirido da Rodoviária Âncora
Matias do Rio de Janeiro-RJ o carro 0932, um Apache Vip I OF-1722M. E em 2011,
foram adquiridas 5 unidades do mesmo modelo e chassi oriundas da Novacap (de
0985 até 0989). Essas seis unidades rodam até hoje na empresa.



Santa Maria: início marcado pela encarroçadora
 
Assim
que foi adquirida pelo Grupo A.Cândido, as primeiras quatro unidades da Santa
Maria – ainda com o nome da antecessora Boa Viagemapresentaram a pintura da
empresa e surpreenderam pelo modelo: foram os primeiros Apache Vip II de João
Pessoa. São encarroçados no chassi OF-1722M e foram numerados de 06033 até
06036.

No
Conde, a empresa praticamente fechou com a CAIO. Adquiriu 13 unidades seminovas
do modelo Foz Super sob chassi OF-1418, todas oriundas da Viação Novacap do Rio
de Janeiro. Elas foram saindo paulatinamente em 2014, substituídas por Neobus
Spectrum City seminovos, oriundos da mesma empresa e encarroçados sob o mesmo
chassi.
 
Em
2011, adquiriu dois Apache Vip II OF-1722M seminovos da mesma Viação Novacap:
06050 e 06051.
 

Além
dos 6 Vip II, dois dos 13 Foz Super rodam até hoje – um com numeração
municipal.

 
São Jorge: maior frotista atual
 
Com
cerca de 25 unidades em sua frota operante, a São Jorge é, atualmente, a maior
frotista CAIO de João Pessoa. A história da encarroçadora na empresa iniciou-se
com os Vitórias de motor dianteiro herdados da antecessora, a Transurb. Os dois
últimos a saírem da empresa foram os carros 0212 e 0237, já como integracionais
do Valentina. Os dois já operavam sem o posto de cobrador naquele tempo.
 
Da
Boa Vista, herdou os Alphas anteriormente mencionados, que viraram 0289 e 0290
na empresa.
 
Em
novembro de 2003, a São Jorge surpreende e adquire seu primeiro lote de CAIO
zero quilômetro. Eram oito unidades do Apache Vip I numeradas de 0283 a 0290,
encarroçadas sob o chassi OF-1721 da Mercedes-Benz, divididas entre a linha 519
e 2300. Os Vip I do 519 seriam os primeiros componentes da linha 1519 quando
esta foi criada dois anos depois. O lote era de dez ônibus, que foi completado
só em fevereiro do ano seguinte com os carros 0296 e 0297, que foram
direcionados para a linha 1001.
 
Em
julho de 2005, a São Jorge volta a adquirir veículos zero quilômetro da CAIO.
Eram três unidades do Apache Vip I SC (Série Compacta, cuja carroceria era mais
baixa em altura que a versão padrão) encarroçadas sob o chassi OF-1418 da
Mercedes-Benz, numeradas 0264, 0265 e 0266. Diferente das primeiras, eram
encurtadas e não tinham posto
de cobrado
r, sendo os primeiros ônibus do tipo micrão
adquiridos por uma empresa pessoense, bem como era a primeira vez que ônibus
maiores que os microônibus da época operavam as linhas de dupla função que
desde essa época já existiam na empresa.

Nem
a compra massiva de usados tirou a CAIO do foco da São Jorge. Em 2007 traz da
empresa-irmã Nacional de Luxo de Campina Grande os Apache Vip I 0234, 0235 e
0236. Eram OF-1417, altura padrão, e não possuíam posto de cobrador, operando
nas linhas de dupla função.
 
Em
2008, a empresa adquire 4 unidades do modelo Apache Vip I oriundas da Viação
Verdun do Rio de Janeiro-RJ, sob chassi OF-1722 e com as numerações 0211, 0213,
0224 e 0225. Ainda adquire 2 unidades seminovas do mesmo modelo sem posto de
cobrador oriundas da N.S. da Penha de Mesquita-RJ, sob OF-1418, numeradas 0217
e 0223. Diferente dos adquiridos zero, esses micrões não eram SC.
 
Ainda
em 2008, adquire 11 Vip I SC com cobrador oriundos da Transportes Santo Antônio
de Duque de Caxias-RJ; os cinco primeiros começam a operar em novembro do mesmo
ano na linha 1519; os seis últimos, em janeiro de 2009 na linha 2300.
 
Em
2009, adquire 5 unidades seminovas do Apache Vip I sob o chassi OF-1418,
oriundas da Rodoviária Âncora Matias do Rio de Janeiro. Eram os carros 0215
(que antes rodou na Nacional de Luxo), 0292, 0293, 0294 e 0295.
 
Depois
de um jejum de três anos sem comprar unidades usadas da CAIO, volta a adquirir
novas unidades em 2013, dessa vez seminovas da Viação Novacap. E foram os seis
primeiros Apache Vip II da empresa, bem como os primeiros veículos seminovos
adquiridos já com acessibilidade. São encarroçados sob chassi OF-1722M e foram
numerados 0210, 0211, 0212, 0213, 0221 e 0222.
 

No
final de 2013 adquire os carros 0275, 0277, 0280, 0281, 0294 e 0295, todos
Apache Vip II sob o chassi OF-1722M. Essas unidades foram adquiridas seminovas
da Transportes Flores, de São João do Meriti-RJ. Não possuem elevador, e rodam
em dupla função.

Em
2014, surpreende e adquire 4 unidades seminovas do modelo Apache S21, que
estava dado como extinto no sistema municipal depois que a Mandacaruense havia
desligado da frota sua última unidade meses antes. Oriundas da Coletivos São
Cristóvão de Salvador-BA e encarroçadas sob o chassi OF-1418, foram adquiridas
especialmente para as linhas integracionais da empresa.

No
mesmo ano, adquire mais 10 unidades seminovas do Apache Vip II encarroçadas sob
o chassi OF-1722, oriundas da Transportes Flores, dessa vez com acessibilidade:
0264, 0265, 0266, 0270, 0271, 0272, 0273, 0274, 0276, 0279. Rodam em linhas de
dupla função da empresa.
 
A CAIO em João Pessoa hoje
 
Das
6 empresas operadoras do transporte coletivo em João Pessoa, só 3 tem CAIO: São
Jorge, Santa Maria e Marcos da Silva. A São Jorge possui 25 unidades do modelo,
enquanto a Santa Maria possui sete unidades, e a Marcos da Silva, seis.
De
todos os modelos urbanos da CAIO, os modelos Apache S22 (fabricado entre 2007 e
2011), Apache Vip III (lançado em 2012) e IV (lançado ano passado) ainda não
possuem nenhuma unidade rodando na capital paraibana.

3 comentários em “A presença da CAIO em João Pessoa‏”

  1. Parabéns pela maravilhosa matéria! A capacidade de pesquisa e organização cronológica de vcs são incríveis!
    Em meados de 1985 à 1992 eu visitava mt minha vó em Jaguaribe e quase sempre pegava uns Caio Gabriela e Amélia, vez em quando, um monobloco 0-364 da Marcos da Silva.
    Também nessa mesma época andava muito em alguns Caio Gabriela da Wilson,os saudosos 5502, 5516,5517 e 5518.Como não esquecer o envenenado 5612 da Almeida.Carros incríveis daquele época nostálgica, pena vcs não terem algum registro fotográfico dessas máquinas.
    Deus abençoe poderosamente a vida de todos vcs, que por meio de posts como esses, nos fazem reviver boas e belas recordações.
    Abraços á toda a equipe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.