Concorrência digital no setor rodoviário ajuda a manter preços abaixo dos níveis pré-pandemia

A expansão da vacinação e a redução do número de casos de Covid-19 no país neste final de ano indicam o início da retomada do mercado rodoviário no Brasil. Após 20 meses desde o fechamento de fronteiras e a restrição de viagens, a tendência é que o setor retome os níveis pré-pandemia nesta temporada de verão e o retorno das festas de Natal e Réveillon. 

Segundo a plataforma de dados BuscaOnibus, que oferece informações de mais de 250 empresas de transporte rodoviário, o valor das passagens ainda está abaixo do que era praticado antes da pandemia, em média, 22%. 

“A tendência é que a procura por viagens continue em alta, impulsionado também pela crescente utilização de tecnologias por empresas do setor, facilitando as compras de passagens. Isso explica porque, mesmo com a retomada, os valores ainda estejam inferiores do que há dois anos. O mercado está bem mais competitivo com novos players digitais”, ressalta José Almeida, CEO e fundador da empresa, com sede em Florianópolis. Além de ser um metabuscador de passagens via web e app, o BuscaOnibus fornece relatórios especializados ao mercado. 

Segundo pesquisa recente da Opinion Box, 78% dos respondentes disseram que farão pelo menos uma viagem nos próximos doze meses, enquanto 62% percebem que gastar dinheiro com viagens vale mais a pena do que comprar bens materiais. “A tendência é que no verão, os preços aumentem em função da demanda. Mas como há uma competição muito maior de preços entre as empresas, é possível que os valores não subam muito”, reflete Almeida. 

TICKET MÉDIO PASSAGENS / ANO*

ANOTicket Médio
2018R$ 93,69
2019R$ 104,05
2020R$ 93,21
2021R$ 85,46

*FONTE: pesquisas na plataforma BuscaOnibus

Novos players acirram competição no setor

A entrada de novas empresas – como Wemobi, Gipsyy, ClickBus X, Aguia Flex, além de Buser – e a digitalização de serviços ao consumidor está aumentando a competitividade e o volume de ofertas, aproximando o setor rodoviário à flexibilidade de preços que ocorre no setor aéreo. Tudo isso está sendo possível pelo uso de tecnologias que ajudam a otimizar rotas, gerenciar demanda de passageiros e intermediar a compra de bilhetes. Em alguns casos, as inovações acabaram se chocando com regulações do setor do transporte – mas o interesse dos usuários está levando novos players a entrar no país e entender a melhor forma de ocupar um mercado que ainda operava majoritariamente no offline.

“Um dos desafios do setor antes da pandemia era avançar no digital e agora o cenário é outro. Além disso, grandes empresas internacionais chegam capitalizadas para disputar o mercado e isso terá um impacto direto ao consumidor, seja em preço ou em qualidade de serviço”, ressalta Almeida. Empresas tradicionais do segmento também estão oferecendo outras vantagens, como clube de recompensas e fidelidade para os usuários. “O consumidor se acostumou ao digital e vai querer a mesma experiência de compra e facilidades, como promoções, que há em outros mercados”.  

Há 12 anos no mercado, a BuscaOnibus é pioneira no serviço de metabusca de passagens no Brasil e vem desenvolvendo um serviço de inteligência de dados (Business Intelligence) para empresas do setor. 

“É impossível prever como o mercado vai se comportar nesta retomada, mas sabemos que a concorrência aberta, a partir de dados públicos do setor rodoviário, vai impulsionar novos modelos de negócio e serviço, como a criação de outlets de passagens, por exemplo, que oferecem promoções especiais de acordo com a demanda”, acrescenta João Rodrigues, consultor de novos negócios da BuscaOnibus. “A digitalização e os novos players apontam para um novo momento para as viagens rodoviárias”.